Diga-me com quem andas, que te direi quem és.

No momento que me cabe publicar minhas reflexões sobre a situação que o Internacional se encontra, não posso deixar de lembrar que quando fomos rebaixados de divisão de pronto senti uma grande preocupação. Logo veio a minha mente que historicamente nós sempre tivemos imensas dificuldades contra os adversários que frequentam a parte de baixo da tabela das competições mais importantes que participamos.

Mesmo que soe arrogante, é inegável que somos o Clube mais forte dessa competição, sobre todos aspectos, em termos de estádio, potencial técnico, em títulos nem se fala. Se as finanças não andam bem, não restam dúvidas que ninguém tem maior capacidade de endividamento, caso se faça necessário.

Então porque as dificuldades em liquidarmos essa fatura de uma vez? Somadas as dificuldades acima enunciadas, entendo que é inegável tratar-se de uma competição difícil, em que a maioria das equipes ditas grandes que sucumbiram e acabaram frequentando a Segundona, tiveram imensas problemas.

Para ficarmos nos mais irônicos, falo da torcida que uma vez viu seu time ser de maneira imoral levado em nono e em outra em uma das poucas vezes em que o fracasso subiu à cabeça, comemorar efusivamente o título, mas na realidade na última partida venderam ingresso para o paraíso e o inferno ao mesmo tempo, pois com derrota permaneceriam e com vitória seriam o campeão.

Parte da imprensa IMPARCIAL vendeu a ideia que o Internacional atropelaria todos adversários e boa parte da nossa torcida comprou, cobrando forte o time, mesmo nos momentos em que, mesmo não dando espetáculo, os resultados apareceram numa boa sequência de vitórias.

Posso ser enquadrado como romântico, purista ou até ingênuo, mas jamais vaio o Internacional em campo. Quando minha indignação atinge o auge, meu maior protesto é não comparecer ao Gigante, quando não posso ajudar me nego atrapalhar.

Disponível em https://essenciadoguerreiro.wordpress.com/

Estamos a um ou dois pontos de sair dessa meleca, espero que para sempre. Seja como for, o time está na liderança mesmo com o mau desempenho das últimas rodadas. Se eu tivesse algum poder de influência junto aos demais torcedores eu suplicaria, muita calma, não adianta vaiar o técnico agora, pensar em 2018 antes de acabar 2017.

Nada interessa se o técnico fica; entre os atletas quem saí, quem volta ou novas contratações, temos que ter bem claro em nossas mentes o objetivo principal são 6 pontos mais e o depois que venha depois.

Quantos às últimas partidas de baixo rendimento, atrevo-me a dizer que tem motivos bem claros, com o passar do tempo os adversários aprenderam a neutralizar o 4 1 4 1 que até deu bons resultados.

O principal motivo da queda creio que se deva ao fato de que nosso jogador mais importante, diga-se de passagem com ótimo desempenho na temporada, D’Alessandro, em virtude da sua condições física, foi recuado para praticamente um segundo homem de meio-campo, o que qualificou e muito a saída de bola e lançamento longos, muitos com perfeição.

Mas, em contrapartida, mesmo o nosso número 10 não tendo pernas para fazer o vai e vem, ficam sem assistência aproximada os atacantes e por tratar-se praticamente de três centroavantes de origem, nenhum tem por objetivos principal habilitar o parceiro para fazer o gol. Isso ocasiona que na maioria das vezes ocorram finalizações precipitadas e muitas oportunidades desperdiçadas.

Como solução me arrisco a sugerir, sai o Pottker ou Sasha, para entrada do Camilo, que certamente vindo de trás com lançamentos ou troca de passes qualificados, certamente teremos melhor desempenho dos atacantes que ficam.

Com a saída do Pottker, perderíamos a velocidade, o ímpeto do atacante de bom vigor físico e até o goleador, que não tem se feito muito presente, mas sabemos do seu potencial.

Por outro lado, ao tirar o Sasha, que caiu também de produção, perde-se sua capacidade de entrega. Poucos atacantes tem a capacidade de recuar até a sua área para ajudar os meias e laterais no trabalho de marcação, e só voltar não ajuda, é inegável que ele tem capacidade de desarme, raro em jogador brasileiro que joga do meio para frente.

Não dá para esquecer que com essa alteração ficamos somente com R Dourado e Edenilson como jogadores de alto poder de marcação, mas se estagnou algo diferente, mesmo que arriscado, temos que tentar.

Finalizando, se nos misturamos, passamos a ser de segunda divisão sim, embora duro de admitir, é uma competição muito parecida com futebol, mas onde impera a correria, pontapés e safanões, falta pouco para voltarmos a ser diferentes, vamos todos tentar ajudar.

Um abraço colorado,

Arioldo Roldan

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Arioldo Roldan

Arioldo Roldan

8 comments

  1. Concordo em partes com teu texto (pra variar kkkkk), não analizemos o lado da grandeza, do lado financeiro e muito menos de estrutura ou elenco, que SIM só isso deveria chegar para passar esta segundona, que na minha opinião é A PIOR DOS ULTIMOS TEMPOS EM TERMOS DE QUALIDADE, tem cada time de chorar. Mas vamos analizar o time em campo, nosso amado salve, salve, time é previsível não pelo sistema implantado é por vários motivos, um deles também a qualidade técnica de alguns jogadores, juntada a dinâmica digamos assim de jogo, ou seja, jogadores estáticos não se mexem pra receber uma bola e posiçãomelhor, não conseguem cruzar uma bola do lado da área em direção á marca do penalty, chutes á gol, só se for no gol daquele futebol americano, COM SOBERBA SIM, acho que já deveríamos estar classificados á umas tres rodadas atrás, mas ALGO POR TRÁS DE TUDO ISSO CHEIRA MAL, num dos bons textos o Paupério disse que não faltou vontade de correr que teve jogador extenuado (acho que é isso) ao final do jogo. Mas como isso??? é ou não a dinâmica ou a forma de jogar do nosso time que está errado??? ENFIM VAMOS SIM COM CERTEZA NOS CLASSIFICAR, MAS COM ESSE ELENCO PARA NOS MANTERMOS NA ELITE, VAI SER BRABO.

  2. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    COLORADOS, QUEM SABE HOJE PODEREMOS COMEMORAR A NOSSA VOLTA A SÉRIE A!!!

    Hoje mais uma vez dentro do Beira-Rio teremos uma partida muito difícil contra o perigoso time do Vila Nova, que no primeiro turno nos venceram por 2×1, e lembro que não foi possível ficar feliz com o pouco futebol apresentado naquele jogo lá no Serra Dourada, somente com a torcida da imprensa.
    Ainda estamos no lucro apesar de todas estas trapalhadas dentro e fora do campo, porque somos líder mesmo acompanhado do América-MG, e desejo que possamos ser até o fim, porque somente isto que importa para nós Colorados, o resto já é passado.
    Agora caso houver um desastre dentro do campo ainda estaremos tranqüilos mesmo que a Taça da Série B não fique com o Internacional, porque devido às circunstâncias até penso que conseguimos chegar bem longe com o nosso time, que diga de passagem que não foi o dos nossos sonhos.
    Para finalizar quero deixar registrado para os dirigentes do nosso Internacional, que todo recomeço será muito bem vindo para plantar, regar e seguir o melhor caminho, tendo em vista que as glórias e vitórias somente poderão ser muito bem colhidas e alcançadas, caso tivermos um time do tamanho do AMOR da torcida Colorada.

    Abs. Dorian Bueno, Google+Plus, POA, 11.11.2017.

  3. bike boy colorado

    Pois caro Roldan, concordo inteiramente com o que escreveste. É bem a pura realidade, sem enganação. O Vasco, um dos grandes do futebol brasileiro subiu ano passado na última rodada. Na bacia das almas. Vários times grandes que passaram pela B tiveram dificuldades, conosco não seria diferente. Cada clube que vai nos enfrentar arma uma copa do mundo. Demoramos e entrar no “espírito” da série B, estamos chegando. É a hora do apoio incondicional. Nosso grande objetivo no ano não é o retorno à série A? Sim. Então vencida esta etapa, que se reforce a equipe. Mas ainda estamos em 2017 e que venha esse título da segundona se possível!

    Grande abraço!

  4. “O INTER ESPERA QUE CADA COLORADO CUMPRA COM O SEU DEVER”

  5. Alô você Roldan!
    Cada vez que leio as postagens de “nossa gente” fico orgulhoso de integrar essa família. Abordas muito bem o fato de termos que neutralizar o “já classificou” e de convecer a todos que como somos um time de segunda divisão, não podemos ter comportamento nem desempenho de 1ª. E por falar em primeira, todos concordam que o CURINTIA é o virtual vencedor, liderando o campeonato bem a frente de outros badalados e nunca comprovados “favoritos”, certo? E o futebol apresentado é convincente? Agrada a todos? Creio que não, certo? Então porque do time da segunda divisão é cobrado desempenho? A quem interessa? Então meu amigo concordo em gênero numero e grau: MUITA CALMA NESSA HORA, vaias, desconfianças e outras que tais só ajudam QUEM NÃO QUER AJUDAR.
    Coloradamente,
    Melo

    • Arioldo Roldan
      Arioldo Roldan

      Olá Melo, preocupa-me bastante essa eterna autofagia que reina entre nós colorados, não é necessário os adversários para nos depreciar, sabemos fazer isso sozinhos e nos transformarmos nos piores de todos, mesmo quando estamos liderando. abraço.

  6. Arioldo Roldan
    Arioldo Roldan

    Olá Paupério, obrigado pelas considerações agora falta pouco, abraço.

  7. Antônio Carlos Pauperio

    Arioldo, poucas vezes li um texto tão realista, inteligente e honesto. Parabéns! Assinaria embaixo do teu texto, sem pestanejar, pois penso exatamente como tu. Na tua única dúvida, colocaria o Camilo no lugar do Sasha, mas desde o início do jogo, para ele “embalar” junto com o time. Tenho também tentado alertar para o quanto é inoportuna essa preocupação com 2018 e os questionamentos agora sobre o comando técnico e jogadores. Seria prudente e mais inteligente, como escreves, deixar para mais tarde, depois de “pelar a coruja”. Como bom Gaúcho e Colorado, não posso deixar de me posicionar, eu não vaio e nunca vaiei o time Colorado, pois respeito muito essa camisa e esse clube.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*