Honremos nossos Símbolos!

 

 História do Dia da Bandeira

O Dia da Bandeira foi criado no ano de 1889, através do decreto lei número 4, em homenagem a este símbolo máximo da pátria, comemoramos em 19 de novembro o Dia da Bandeira. A comemoração se constituiu como mais um elemento simbólico da construção da identidade nacional brasileira, o dia da bandeira simboliza a nação brasileira.

A atual bandeira do Brasil foi inspirada na bandeira do período imperial.

Essa comemoração passou a fazer parte da história do país após a Proclamação da República, no ano de 1889. Com o fim do período Imperial (1822-1889), a bandeira desenhada por Jean Baptiste Debret, que representava o império, foi substituída pelo desenho de Décio Vilares.

A substituição representa as mudanças que o Brasil passava naquele momento: mudanças na forma de governo e de governar, do regime imperial para uma república federativa. Além disso, a nova bandeira representava a simbologia que estava agregada ao republicanismo, como a ideia de um Estado-nação, o patriotismo e o surgimento do sentimento nacionalista, ou seja, a construção identitária do povo brasileiro, a identidade nacional.

As bandeiras não são restritas a serem simbologias somente do Estado-nação, ou de algum país, mas existem bandeiras que representam diversas regiões que integram o país e diferentes instituições e esferas sociais. Existem bandeiras que simbolizam times de futebol, torcidas organizadas, cidades, Estados, instituições religiosas e governamentais como cidades, exército, além das instituições comerciais, bandeira de uma empresa.

  • Temos notícias de que as primeiras bandeiras foram visualizadas na antiguidade, eram utilizadas nos exércitos como meio de reconhecimento entre os diversos soldados. Atualmente, no mundo contemporâneo, todo Estado-nação possui uma bandeira nacional que representa e dá unidade à nação, ou seja, unifica diferentes povos. Dessa maneira, a instituição da comemoração do dia da bandeira acrescentou mais um elemento simbólico na construção da identidade nacional.

Fonte : Leandro Carvalho – Mestre em História.

Bem, pessoal, quem conhece a História, não repete seus erros…

O texto do renomado Historiador ressalta a presença e o significado da “mudança”  para o Bem Maior – o País. Consequentemente: O Povo!  A Nação! Novos ares, novos tempos! Novas Esperanças! E para a Nação Vermelho e Branco não poderia ser diferente.

Estamos ao ocaso de mais um campeonato. Campeonato este que não veio para nossa alegria. Mas como bom brasileiro que vive do Plano A de vida, aquele herdado na honra e dignidade dos ancestrais, forjado na labuta e suor pelo pão nosso de cada dia, a cada rodada mais e mais nossa ansiedade se pronuncia. Não que pensemos na possibilidade de em mais um ano na Série B. A Nação vermelho e Branco não cogita; e isto não significa soberba ou desprezo; não, apenas certeza do momento ter sido o Maior Equívoco Administrativo da nossa História, causando danos irreparáveis, cicatrizes petrificadas pelo tempo, que nós amantes incondicionais das cores vermelho e branco saberemos administrar em nossas almas. Se o céu é Anil, o Sol é Vermelho!

Temos hoje e ontem motivo bastante para manter acesa a chama da grandeza do nosso Estandarte. Temos orgulho ao vê-la erguida tremulando ao vento, ao vento de vitórias, de conquistas. Se em um difícil passado, serviu para enxugar nossas lágrimas, o presente recente a coloca entre as Maiores do Cenário Nacional, Internacional, e Mundial, e nos oferecem a certeza que este período de exceção será lembrado como sendo mais uma fase de transição.

E nosso Lábaro continuará flamejante tremulando em outros “céus de anil”. O que é muito bom, pois por aqui, a hegemonia é s.m.j., acachapante. Assim, qual a preocupação que se avizinha? É a certeza de que a lição foi aprendida e apreendida. A Nação alvirrubra precisa dessa certeza. Não merece este presente grego. Nunca faltou e nem falta nesses momentos difíceis – estádios sempre lotados. Mas estamos sedentos de “mudanças”, mudanças que nos devolvam a grandeza arranhada. E este limão que agora sorvemos, naturalmente seja uma limonada. Precisamos do título, do caneco e da faixa, de forma que possamos reforçar nosso slogan para 2018 de que “Time Grande, não cai: Desfila!”.  Até de repente!

Pesquisa do Site do Internacional

A EVOLUÇÃO DOS ESCUDOS

 

 

O primeiro distintivo do Sport Club Internacional era formado com as iniciais – SCI – bordadas em vermelho sobre fundo branco, sem a borda também vermelha que apareceu logo em seguida.

 

Mais tarde aconteceu a inversão, com a combinação de letras passando a ser branca sobre fundo vermelho.

 

distintivo do bicampeonato brasileiro

 

Distintivo do tricampeonato brasileiro invicto

Escudo com a estrela da Copa do Brasil

Escudo com a estrela da Libertadores (2006)

Com a conquista da Libertadores da América 2006, o distintivo ganhou mais uma estrela. Seu tamanho é 50% maior que as demais e foi localizada um pouco acima das quatro, que representam as conquistas dos três campeonatos brasileiros (1975-1976 e 1979) e da Copa do Brasil (1992).

 

Distintivo com a estrela do Mundial Fifa (2006)

 

Porém, ainda em 2006, o Inter conquistou o Mundial Interclubes e a estrela que simboliza o título da Libertadores foi trocada de lugar, sendo postada entre as quatro dos títulos nacionais para, logo acima dela, ser colocada a majestosa estrela diamante do Mundial.

 

Escudo comemorativo da Tríplice Coroa

 

Os ramos de louro significam a conquista do Campeonato Brasilero Invicto, em 1979. A coroa representa a inédita conquista da Tríplice Coroa: Libertadores da América (2006), Fifa Club World Cup (2006) e Recopa Sul-Americana (2007).

O Escudo do Centenário

 

BANDEIRA OFICIAL

Bandeira Oficial do Inter-RS. A bandeira do Sport Club Internacional é constituída de dois triângulos-retângulos com as cores oficial vermelho e branco, ficando o triângulo branco com a base para a esquerda e o vermelho com a base para a direita. No canto de cima, do lado direito, aparecem as iniciais entrelaçadas do Clube a a data de fundação.

No Beira-Rio, os torcedores podem contemplar uma bandeira de 110m2 em um mastro de 55 metros de altura.

Pesquisas: Sidney Barbosa da Silva e Sandro Bernardes.

Fonte: www.internacional.com.br

Página adicionada em 06 de maio de 2009 – atualizada em 14/Novembro/2016.

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Jaldemir

Jaldemir

9 comments

  1. bike boy colorado

    Grande Jaldemir

    Em um tempo que nossa Pátria-Mãe, a abençoada Terra Brasilis passa por tantas dificuldades, esse seu post veio bem a calhar. Honremos nossos símbolos. Uma aula de cidadania e com um toque bacana de coloradismo. Excelente esse detalhamento de cada um dos distintivos do nosso glorioso manto.

    Grande abraço!

  2. Alô você Jaldemir!
    Que orgulho que dá quando se lê uma matéria dessas, pois sabemos que atrás tem uma pesquisa que ao fim e ao cabo vai engrossar nosso cabedal de conhecimento. Parqbéns meu amigo e obrigado pela verdadeira aula de SÍíMBOLOS.
    Coloradamente,
    Melo

  3. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    JOGOS DA SÉRIE A e SÉRIE B, ESTÁ RUIM DE SE VER!!!

    Preciso revelar algumas diferenças que notei no jogo do Boa Esporte 0 x 0 Internacional e Corinthians 0 X 0 Grêmio, mesmo sendo competições de nível diferente, principalmente na qualidade dos seus jogadores, não teve GOL.

    Na Série B poucos torcedores foram prestigiar o jogo lá em Varginha, e quem sabe não perderam nada, já que os jogadores não conseguiram desempenhar uma ótima partida de futebol para fazer pelo menos um GOL.

    Ontem lá em São Paulo pela Série A no jogo dos mosqueteiros, também foi tão ruim de ser ver porque os jogadores não conseguiram fazer nem mesmo um GOL anulado, mas o estádio era maior e tinha muitos torcedores.

    Para todos os jogadores a bola era redonda, o gramado verde, mas o nível de desempenho de todas as equipes foi tão paupérrima com a bola nos pés, que acabaram igualando as competições através de um futebol quadrado.

    Os líderes Corinthians e Internacional não tiveram competência para vencer o Grêmio e Boa de Varginha, e devido a isto todos os técnicos e jogadores estão no mesmo nível.

    Colorados estou feliz!!!

    Abs. Dorian Bueno, Google + Plus, POA, 19.10.2017

    • jaldemir Candido dos Santos
      jaldemir Candido dos Santos

      Ilustre, comparações geram injustiças. Para a minha satisfação, o Inter não perdeu nada, apenas deixou de ganhar. S.M.J., nenhum time de futebol ganha “todas”. Embora saibamos da existência de um que “perde todas”… Assim sendo, creio que mesmo deixando a desejar em termos de Espetáculo, pois samba sem mulata vira tango, razão pela qual, fico contente com a metade da garrafa de uísque… não sou egoísta, por hora, um ponto foi uma boa… sem gols mas com avanço! Quanto a torcida, não sei ainda quantos espectadores assistiram: eu assisti. Satisfeito? Sim! Poderia ter sido melhor? Não há leite derramado. Então, tu estás feliz? Estamos! E creio que a próxima será um grande espetáculo, exceto se a Direção não estiver atendendo suas obrigações, pois em campo não haverá motivo para nossos leais representantes não alcançarem mais três pontos!

  4. jaldemir Candido dos Santos
    jaldemir Candido dos Santos

    Colorados de plantão, obrigado pelas observações. De há muito dos currículos escolares foram retiradas matérias como Moral e Cívica, Organização Social Política Brasileira, sabe-se lá dando lugar a que… mas já tivemos provas oculares de representantes do povo em pleno Congresso mudo permanecerem perante o Hino Nacional. Bem, somos do tempo em que beijar o Escudo do clube era mais que um simples ato de jogador satisfeito com seu salário… Realmente as mudanças devem tomar lugar e se consolidar na conquista do título e a certeza de que Serie B nunca mais!

  5. Antônio Carlos Pauperio

    Jaldemir, excelente teu texto. Li, no mínimo, três vezes, pois sempre é bom aprender, ainda mais quando os ensinamentos vem dos amigos. Não sei se é a idade, mas não vejo nos mais jovens o respeito que aprendemos em nossa infância aos símbolos nacionais, como se não soubessem da importância deles. Assim é quando do hasteamento da Bandeira Nacional ou ao som do Hino Nacional. A deturpação do sentimento cívico trocado pela “política dos amigos e companheiros”, na defesa de interesses próprios, infelizmente, deixaram de lado a preocupação com o Brasil e com o bem comum do povo brasileiro. Em nosso Internacional, infelizmente, vejo que não há muita diferença, pois estamos retrocedendo ou estagnados em uma posição muito abaixo da verdadeiro destino e história desse clube. Concordo plenamente quando falas em mudanças, pois só com uma mudança radical de mentalidade, essa realidade poderá ser modificada, retornando ao caminho predestinado ao Internacional. i

  6. Leandro Godoy
    Leandro Godoy

    Parabéns pela matéria, elucidativa e resgata a história de um time vencedor. Gostei do “time grande não cai, desfila”. Mais uma vez parabéns pela pesquisa da história evolutiva do nosso distintivo, (escudo).

  7. Naladar Santos
    Naladar Santos

    Jaldemir, parabéns e obrigado pelo levantamento.

    • Dorian R. Bueno
      Dorian R. Bueno

      Olá Naladar !!!
      Com esta tua atual preguiça para escrever, parece o time do Inter contra o Boa.
      Venha para junto de nós…
      Abs. Dorian Bueno

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*