Ligando o alerta

Após 06 meses morando em Salvador, retorno a Poa saudosa do nosso Beira Rio do nosso Colorado, saudosa de energia desse clube do povo, então finalmente consigo ir ao jogo, nossa minha ansiedade foi gigante creio que do tamanho da grandeza do nosso Inter. Vejo meu Colorado passivo contra o CRB que Luta para não cair para a terceira divisão.

Ok já subimos, já praticamente estamos na série A novamente, mas o sinal vermelho foi ligado, assim como estamos hoje temos de ser realistas, não dá para jogar a série A… precisamos reforços, precisamos voltar a pensar grande…nesta volta precisamos dar uma resposta a essa torcida tão fiel e apaixonada que nunca abandonou um jogo se quer.

Ontem fiquei triste mas não vaiei, não sou de ir a estádio e vaiar, consigo ver que já voltamos, mas como disse reforços urgente!

Volto para Salvador feliz de ter voltado um dia para o que era minha rotina, curtir nosso Inter, triste de não ter visto uma vitória, mas com a certeza cada dia mais que não vou ficar muito tempo longe da nossa segunda casa, aquilo ali para mim é meu marido é muito mais que ” só futebol” é nossa segunda família também…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Fernanda Pritsch

Fernanda Pritsch
Sou Colorada de nascimento, filha de Pai Colorado, Pai esse que desde os Eucaliptos, ajudou com os tijolos e cimentos para o Beira Rio, cresci ouvindo as histórias do Rolo Compressor, histórias do Larry, Manga, até chegar a Figueiroa e Falcão, minha Mãe Colorada, única em sua família, tornou-se colorada por sua paixão de adolescente pelo Sr Larry...com isso Graças a Deus então nasci Colorada, meus irmão Colorados, cresci vendo nosso Inter na TV, no radinho, até que conheci o Beira -Rio com meu cunhado ex jogador do Inter Junior, então em 1996 vim para Porto Alegre para estudar, a primeira coisa que fiz foi me tornar sócia de uma torcida organizada, a qual nesta época era a maior do Inter, fui com um único propósito, torcer para meu amado Colorado...viajei atrás do Inter onde ele fosse, até que em 1998 conheci meu marido, e hoje nutrimos essa doença da qual não desejamos cura, em 2006 esse amor que ali nas "arquibancada Colorada" teve seu inicio, ganhamos nosso maior presente quase juntinho ao nosso maior Título, chegou a nossa filha Isabella loguinho após nosso precioso Campeonato Mundial, e nem que pedíssemos uma filha tão especial e Colorada talvez não fossemos atendidos como fomos, ela é extremamente colorada tal qual Pai e Mãe...então só posso ser cada vez mais grata e feliz por amar esse clube, esse clube não é simplesmente "só futebol" ele é para nós simplesmente o responsável pela família que hoje tenho. E para fechar com chave de ouro essa história de amor com o Internacional, em 2016 tornei-me Professora de Natação e Hidroginástica do Parque Gigante, onde pude trabalhar com sócios do nosso Clube e com nossos jogadores Profissionais, com treinos regenerativos na piscina, experiência que jamais almejei ou se quer imaginei um dia que isso pudesse acontecer...foi uma experiência única para essa Colorada aqui, tatuada com nosso escudo, das arquibancadas para o bastidor, hoje já me despedi do Parque pois estou indo viver por um tempo em Salvador - Bahia. Mas em meu coração levo tudo que vivi até hoje com nosso Inter, e certa que o retorno após esse período será certo, para nossa capital pois como eu disse: Temos uma doença da qual não queremos cura, ela se chama Internacional, e a nossa segunda casa o Beira - Rio sim, vai nos trazer de volta. Tehno na pele, tenho no coração...e nada vai nos separar!

4 comments

  1. Luciano

    Sinal de alerta muito ligado Fernanda. Futebol medíocre apresentado ontem e nas últimas rodadas. Vamos admitir que pelo menos 3 ou 4 pontos serão suficientes para o acesso, título já não sei mais pela mediocridade apresentada. Se não abandonarmos essa ideia de que temos um bom grupo será difícil permanecer na elite para 2019. Por essas ideias de bom grupo é que Sasha, Ernando, Danilo Silva, Alemão e outros estão no elenco, com todo o respeito a esses e outros profissionais. E o que dizer das atuações do Potker? E por que ele joga aberto pela direita todo desajeitado para construir jogadas para o pé esquerdo? Aí chegamos na figura do treinador que parece que está com seu prazo de validade comprometido. Infelizmente é mais um final de ano que se apresenta preocupante e longe das nossas tradições. SC.

  2. Ontem entrou mais um ingrediente de desculpas para a péssima partida jogada A ANSIEDADE, fluxotina neles então. MASSSSSS O QUE É ISSO???? SE DEPENDESSE DE MIM, ONTEM APÓS O JOGO O SR GUTO FERREIRA JÁ SERIA DEMITIDO, SE FOSSE EU O DIRETOR DE FUTEBOL OU PRESIDENTE, IRIA Á IMPRENSA E ESCANCARAVA QUE OS JOGADORES ESTÃO FAZENDO CORPO MOLE POR QUE QUEREM PREMIAÇÃO PARA SUBIR, SÓ PODE SER ISSO. Apoio incondicional até um certo ponto.Dois jogos em casa com beira lotado, dois fiascos, sim considero fiasco EMPATAR com o poderoso CRB que irá pra série C. Ai vem o sr Guto dizer que os jogadores estavam ansiosos, MAS ANSIOSOS DO QUE?? DE NÃOPODER PAGAR A CONTA DA LUZ DA AGUA DO ALUGUEL DE CASA??? Quem deve estar ansioso é o torcedor que deixa de pagar estas contas pra ir ao estádio gastar o que não tem pra ver estes fIascos. Guto DEFINITIVAMENTE não deve ficar pro ano que vem, o time não tem nada ensaiado, nada de aproximação, nada da famosa compactação ATÉ ´ÍBIS CHEGA NO BEIRA RIO E BOTA BANCA. Aí nosso técnico fica se vangloriando que ganharam do …….CRICIUMA…… MAS O QUE É ISSO??? PENSAMENTO PEQUENO, desculpas esfarrapadas, sol, chuva, time adversário retrancado, e agora ANSIEDADE. To é muito loco então.

  3. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    COLORADOS, VAI SER ASSIM ATÉ O FIM DA SÉRIE B!!!

    Já falamos e escutamos quase tudo sobre os prós e contra do empate de 0x0 diante do CRB mesmo dentro do Beira-Rio, e tudo isto é válido, por que a direção do Internacional, treinador, jogadores, torcedores e a imprensa Colorada, todos precisávamos demais desta Vitória que não rolou.

    Assistimos mais uma vez um bombardeio de chutes sem alvo ou fraquinhos por cima da goleira, que foi uma tremenda e aterrorizante falta de pontaria que não resultaram em GOLS para acalmar os ânimos de todos dentro do nervoso estádio.

    Quero louvar o esforço e não o desempenho de todos já que com certeza gostariam de ter vencido o jogo, mas o que mais chamou atenção foi à quantidade dos mesmos atacantes que o Guto colocou dentro do jogo, e não mais uma vez não funcionaram.
    .
    Apesar do Colorado ser líder isolado ainda não conseguimos nos distanciar mais um pouco dos demais times que estão dentro do G4, por isto vencer na próxima 2ªfeira o Luverdense lá no Mato Grosso, será fundamental para poder vislumbrar a nossa classificação para a Série A.

    Abs. Dorian Bueno, Google+Plus, POA, 04.11.2017

  4. MEIA NOITE E UM
    Cito esse filme, para não abusar da comparação que o nosso blogueiro Naladar fazia com o filme Dia da Marmota (Feitiço do Tempo) em que a cada despertar, os mesmos acontecimentos do dia anterior se repetiam indefinidamente…
    Pois assim está nosso time. A cada rodada se repetem as mesmas más atuações, a mesma falta de futebol,
    os mesmos problemas na defesa, na meia cancha e no ataque. No final, as mesmas decepções e, o pior, as mesmas desculpas. E isso vem de muito tempo. A cada jogo, a solução é sempre quem não atuou. Lembram do jogo contra o Ceará? Ah, faltou Dourado, faltou Damião! E ontem, faltou quem? Novamente o time foi salvo da derrota pelo Danilo Fernandes! Ou seja, contra o poderoso CRB nosso goleiro foi eleito o melhor em campo! Que apequenamento de time! Os últimos estertores do Inter como time grande foi na Libertadores de 2015, comandado por Aguirre, em que só não venceu por que faltou um zagueiro e dois laterais. Tivesse essas peças, teria sido tri da América. De lá para cá o Inter só colecionou fracassos, com dirigentes fracos e técnicos e elenco medíocres. E ainda continuamos nessa senda. Longe da senda de vitórias cantada no Hino. Após Aguirre, vemos nessa coleção de maus técnicos: Argel, Falcão, Roth, Lisca, Zago e Guto. Técnicos sem expressão no futebol brasileiro. E tudo vem se repetindo. As vitórias sem evolução de time que Argel conseguiu em certo tempo, graças aos gols de Vitinho, se repetiram com Guto em trombadas de Damião.
    Futebol nenhum! A imprensa tenta vender certas imagens e idéias de time e até consegue. Tem torcedores que acreditam nela. A velha história da mentira repetida que se torna verdade. Venderam a ideia de que Sasha arrumava o time. Novo craque tático! Imaginem se Sasha é jogador para arrumar time! Defenderam a ideia de Potker na extrema direita marcando lateral adversário. O goleador do campeonato brasileiro do ano passado e do campeonato paulista deste ano, um canhoto, deslocado para a extrema direita. A cada passe ou a cada arremate, é sempre com o pé errado. Por isso não marca gols há vários jogos. Além dos erros do técnico, também os do departamento de futebol. O Inter não tem laterais e zagueiro central. Há tempos! Meia cancha fraca. Ataque inexistente. Quem faz as avaliações na hora de contratar jogadores? Quem é responsável pela vinda de jogadores caros e ruins, tipo Seijas, Gutierrez? Nem falo em Anderson, cuja vinda foi obra exclusiva do Pífio!
    De alento, me parece, é que a realidade está se impondo e as pessoas começam a enxergar o óbvio, que o elenco tem que ser acrescido de bons jogadores e sob comando de técnico de ponta. Não dá mais para se enganarem. A realidade bateu à porta! Ou começa a mudança, ou cai novamente ano que vem! Nem no Beira Rio o Inter se impõe contra adversários fracos. E se não mudar, não vai voltar a se impor!
    O momento de reflexão é agora. Para mudar de vez. Do contrário, em 2018 teremos a repetição da mesmice, ou MEIA NOITE E UM, ou FEITIÇO DO TEMPO ( DIA DA MARMOTA). Alô Naladar!
    Grande abraço a todos os parças do blog!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*