ONZE ANOS DA 1ª CONQUISTA DA AMÉRICA

A Copa Libertadores existia há décadas e o INTER podia tê-la conquistado muito antes de 2006, quando esteve na final contra o Nacional de Montevidéu, em 1980.

Para nós colorados era desagradável ouvir dos rivais daqui a gozação de já a terem ganho duas vezes e nós ainda não. O pior é que durante 23 anos, da primeira conquista deles (1983) até 2006, fomos vivendo um misto de tristeza e frustração, principalmente por tê-la deixado escapar de nossas mãos e não nos tornado pioneiros daqui, nunca esquecendo que nosso time que chegou a final, lembrado acima, era um timaço, bem melhor do que os uruguaios, praticamente o mesmo da conquista do Brasileiro Invicto de 1979, obtido poucos meses antes.

E para piorar a situação, nos anos 90 foi criada pela CONMEBOL a Supercopa Sul-Americana, cujo requisito para participar era o de ter vencido a Libertadores. E por isso o INTER não era incluído.

Neste sentido houve a tentativa do então Presidente Paulo Zacchia de incluir o colorado no torneio, sob argumentação de ter sido Vice-Campeão da Libertadores e ainda ter vencido o Torneio Mercosul, em 1996, este não oficializado pela CONMEBOL. No entanto, anos depois a entidade criou em caráter oficial a Copa Mercosul. Neste particular, ainda tivemos que suportar o desdém de torcedores e até de alguns dirigentes adversários, que afirmavam em tom de ironia, que só vencendo a Libertadores para ter vez. Outros diziam: pela porta dos fundos não mesmo ou para participar o INTER teria que colar a plaqueta do clube na taça junto aos demais.

Para nós, tudo seria questão de tempo e o dia da desforra ainda chegaria.

Entrávamos, assim, no ano de 2006, vindos da grande desilusão do título Brasileiro de 2005, que nos foi confiscado, apesar da sua conquista dentro de campo.

Como nós colorados não desistimos nunca da luta e sempre esperançosos, fomos bastante pacientes até que o dia da grande conquista chegou.

Hoje, estamos há onze anos exatos daquela inesquecível noite de 16 de agosto de 2006, em que o INTER finalmente conquistava a América, dentro do Beira-Rio, sendo declarado o CAMPEÃO DA LIBERTADORES 2006.

Não foi nada fácil, pois enfrentávamos o São Paulo, então Campeão da Libertadores e Mundial. Mas, as grandes conquistas se dão assim, vencendo os mais espinhosos obstáculos, dignos da camisa colorada e não foi por menos que, 4 meses após, passamos por cima do Barcelona, tido como imbatível e melhor do mundo na época. E foi o INTER quem teve os louros de CAMPEÃO MUNDIAL FIFA 2006.

Portanto, a conquista da Libertadores da América de 2006 foi o marco inicial das maiores conquistas coloradas no cenário mundial. É claro que antes já havia em seu histórico triunfos marcantes, entre outros o Torneio Joan Gamper na Espanha, porém sem a repercussão e o caráter oficial que é dado aos títulos obtidos a contar de 2006.

E nós colorados podemos, com orgulho, apontar a plaqueta afixada na taça, mostrando o distintivo do INTER com a conquista alusiva, como está a demonstrar o eterno e saudoso Capitão FERNANDÃO, na foto anexa.

Para finalizar, a você torcedor colorado, clique os sites abaixo e desfrute de todos gols daquela conquista – LIBERTADORES 2006.

Simplesmente emocionante!

Saudações coloradas

BAC

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Heleno Costi

Heleno Costi

9 comments

  1. ANTONIO RUDIMAR VERISSIMO
    ANTONIO RUDIMAR VERISSIMO

    Conhecimento de causa ! Facilidade de se fazer compreender, trazendo para este momewnto, o que tinhamos vivido a onze anos atraz. Heleno, trazes contigo a facilidade de expressão, atingindo sempre o amago da questão !

    Fico imaginando teu sofrimento, no momento em que exaltavas o feito da PRIMEIRA LIBERTADORES, que
    poderia ter ocorrido em antos anteriores, contra o NACIONAL do Uruguai e OLIMPIA do Paraguai, e revivendo a angustia que estamos passando pelo momento dew nosso clube !
    Mas cada um de nós tem uma maneira de enfrentar as alegrias e os infortunios que a vida nos apresenta, mas enfim, fostes muito feliz em tuas colocações, motivo pelo qual quero deixar neste
    momento o meu agradecimento pessoal pela tua excelente er imprenscindivel participação e colaboração, acreditando ser o mesmo pensamento que passa por todos aqueles que lerem ou leram teu post, de uma magnitude impar. PARABENS ! E Colorados cpm tu, no sofrimento, crescem junto com o time, somos GRANDE, e daqui a sessenta dias estaremos no lugar de onde nunca deveriamos ter saido !

  2. O dia 16 de agosto de 2006 é emblemático na história do INTERNACIONAL e todos os COLORADOS. Aquele time ficou marcado pela capacidade de mobilização e indignação contra resultados que não fossem a vitória. Todos os times adversários sabiam que precisariam jogar muito e muito mais que o INTER para nos vencer naquela Libertadores. E só a LDU na altitude conseguiu isso. Eu sempre coloco o dia 09 de agosto de 2006 como uma data não menos marcante, pois contra o São Paulo e o Morumbi lotado e inflamado de são-paulinos (com milhares de colorados também) nosso time teve uma atuação memorável e trouxe a vantagem para o jogo decisivo, nervoso e aguerrido em Porto Alegre. Outras gerações de colorados e coloradas ouvirão falar daquele time por longo tempo.

    • Heleno Costi
      Heleno Costi

      Rudimar,
      Limitei a frustração na 1ª grande oportunidade de vencermos a Libertadores em 1980, que para mim foi mais marcante, pelo motivo daquele timaço, Campeão Brasileiro Invicto de 1979, logo após ter o título da América nas mãos e deixá-lo escapar. No entanto, a outra oportunidade contra o Olímpia na semi-final foi tão ou até mais sofrido que na oportunidade anterior. O nervosismo era tanto que adoeci antes do jogo. Minha participação neste post foi espontânea e motivada pela grande data de 16 de agosto, aniversário da 1ª grande conquista colorada externa, que nos abriu as portas no cenário internacional e nos possibilitou outros grandes feitos como o MUNDIAL FIFA, outra Libertadores, Sul-Americana, Recopas e outros como Suruga e Dubai Cup.
      Agora, vamos em frente para retomar nossa verdadeira posição na série A.
      SC

  3. RUDIMAR VERISSIMO
    RUDIMAR VERISSIMO

    Existem pessoas diferenciadas ! O Heleno retratou com muita propriedade e conhecimento as expectativas e frustações, além da esperança e sonho de todos COLORADOS a conquista de uma LIBERTADORES, que contra o NACIONAL e OLIMPIA, estiveram a nosso alcance ! Mas como para nós COLORADOS, tudo difícil, a vida nos reservou aquele 16 de Agosto de 2006. Lavamos a alma. Parabéns amigo Heleno pela clareza e conhecimento demonstrado. Parabéns !

  4. Heleno Costi
    Heleno Costi

    Pauperio,
    Já havia respondido pelo celular e vejo que não saiu.
    Primeiramente, agradeço teus elogios.
    Conforme havia dito, apesar do tão pouco tempo que tive para escrever, as coisas boas e marcantes da vida, sobretudo concedidas pelo nosso INTER, permanecem acesas em nossa mente e coração. E dessa forma, não foi difícil colocar no papel os momentos tão inesquecíveis daquele glorioso dia de 16 de agosto de 2006, quando conquistamos pela 1ª vez a COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA.
    SC

  5. jaldemir Candido dos Santos
    jaldemir Candido dos Santos

    Parabéns, Heleno, parabéns. Em boa hora chega tua matéria como prenúncio de novos tempos. Agora, não mais interessa se é A, B, ou mesmo C. Interessa que é o Inter Grande do Sul que está novamente recuperando o espaço que nunca deveria ter perdido. Grande abraço!

    • Heleno Costi
      Heleno Costi

      Jaldemir,
      Esta é a terceira tentativa de responder o teu comentário.
      Em suma, antes não dava importância ao título da série B, mas agora o quero, pois os participantes do Gauchão ou Copa do Brasil em sua grande maioria não estão neste situação ou em séries inferiores? Tanto que o Palmeiras ganhou o título estando na B e há outros que fazem até DVD quando estavam na mesma situação.
      Abraço e SC.

  6. Antônio Carlos Pauperio

    Heleno, só você, mais que qualquer um, poderia ter feito uma postagem tão emocionante como essa. Parabéns! Naquela noite pensei que meu coração sairia pela boca ou explodiria dentro do meu peito. Faz parte, assim como o Bi da Libertadores da América, o Mundial de Clubes – FIFA e muitas outras grandes conquistas, de momentos inesquecíveis da minha vida e que teimo não esquecer e não deixar de me emocionar todas as vezes que recordo. O vermelho de nossa camisa e de nossa bandeira é bem representado pelo sangue que corre em nossas veias e temos de agradecer de um dia termos tido a felicidade de ter escolhido ser torcedores desse maravilhoso clube. Lágrimas vindas de boas recordações são teimosas e impossíveis de ser contidas. Acredito que é por essa razão que não deixamos de acreditar no potencial do Internacional e nessa energia que lateja no Beira-Rio. Não nascemos para ser pequenos e não ser protagonistas, infelizmente para alguns. Essa mistura maravilhosa de raças, credos e condições sociais merece muito mais e cabe aos mais novos manter essa chama acesa e cada vez mais brilhante. Sem desmerecer outras, mas essa foi uma das mais brilhantes postagens já publicadas no BAC.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*