Eu sou assim (Imagem: Yahoo)

PORQUE SOU COLORADO, E ME GARANTO

De pronto, cada colorado que ler o texto abaixo que tente responder a esta simples pergunta. Nem que para si mesmo, até sem balbuciar uma só palavra, apenas na pura imaginação. O sentimento é fácil de ser expresso, até porque a maioria dos gaúchos não é boba, mas transpor isto para a linguagem escrita é que são elas. Porque no fundo no fundo este é um tipo de amor meio inexplicável mesmo.
No MEU caso, contou-me o velho Adolpho, depois de alguns anos nascido, que assim que ele acabara de me fabricar teria me sentenciado: Te fiz vermelho, meu, te vira! E eu me virei. Ainda ironizou, vendo-me já ensaiando boas jogadas vestindo a vermelhinha anos depois, que uma falha IMPERDOÁVEL cometida pelo REPÓRTER ESSO da época, narrado pelo saogabrielense Heron Domingues, em uma de suas edições de junho de 1945, foi não ter noticiado o nascimento de mais um atleta colorado para fazer história,  hehe.
O “Testemunho Ocular da História”, como era conhecido o Repórter, ta-ta-ra-tã-tã-tã…, naquele ano começara a transmitir informações brasileiras, priorizando noticiazinhas como a do anúncio da deposição de Getúlio Vargas.
Anos mais tarde, já em 1951, noticiava também, entre outros fatos históricos, a volta do Getúlio ao poder, através do voto direto dos brasileiros; em 1953, o Armistício de Palm John; em 1958, o lançamento do 1º Sputnik ao espaço pelos russos e a Copa do Mundo da Suécia,… e assim por diante.

Bodinho, do Ibis para o INTER (imagem: Yahoo)

Por esses tempos, o humilde criado aqui já acompanhava atento, não só as edições do Repórter Esso, como TODAS as narrações dos jogos do INTER. Lembrem que meu velho me havia dito que me fizera VERMELHO! Eu ainda recordo muito bem, acreditem, quando fomos TRI CAMPEÕES gaúchos em 1952, com o sucesso que já fazia meu ídolo de então, BODINHO. O Bodinho cabeçeava uma bola como determinados centroavantes TENTAM fazer até hoje, estes que dão verdadeiras GUAMPADAS na bola. Eles é que mereceriam quele apelido. Sempre que vejo um nº 9 do meu Inter pular na área e fechar os olhos para “cabecear”, me vem à memória o nome do Bodinho – um atacante de viradas rápidas, oriundo do hoje famoso ÍBIS, de Pernambuco, pasmem, e que tinha este aposto justamente por conta de suas CABEÇADAS FULMINANTES. 

Bodinho logo viria a constituir uma das maiores duplas de atacantes da história do futebol brasileiro, a famosa TABELINHA, com o não menos saudoso LARRY Pinto de Faria.

Ah se Pottker e Nico López, em 2017, reeditarem ao menos PARTE que seja, daquele sucesso, quem sabe estará aí o

Lary Pinto de Faria, o “cerebral” (imagem: Yahoo)

primeiro busca-pé em direção ao Mundial Fifa de novo.

Lembro-me bem daquelas narrações, através de um rádio tipo caixote, de VÁLVULAS, que meu fabricante posicionava na janela de casa, próxima às barrancas do Rio Taquari, em Cruzeiro do Sul. A voz do Mendes Ribeiro ecoava forte e eu escutava em companhia de outros guris, ao tempo em que jogávamos bolita de gude em um terreno ao lado.
Agora, a ficha me caiu mesmo, de que eu me transformaria em um colorado ardoroso como persisto sendo até hoje, quando um padrinho, azulino feroz, chegou para mim, em um Natal, oferencendo aquele uniforme de zebra desbotada. Está até hoje em minha retina o semblante de decepção que vi nele ante minha enfática recusa!
Relatar, eu relato, mas explicar mesmo não tenho nem competência, para responder PORQUE sou colorado!
TU, aí, TENTE!
Eu só sei que aqui segue um idoso usufruindo intensamente de uma das maiores alegrias que a vida pode proporcionar a  um ser humano, a de ser COLORADO!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Roque Mauro Eckert

Roque Mauro Eckert
Sou colorado desde quando meu pai namorava minha mãe, bem ANTES de 1945!

41 comments

  1. Mauro Vozão
    Mauro Vozão

    A ZONA DA MATA

    Agora, seguinte, turma: Parei com a encheção de linguiça para fazer tempo enquanto aguardo mais este jogo do Inter de amanhã que, se Deus quiser e o touro deixar, já vamos entrar no PARAÍSO DO G-4… da SEGUNDONA! Aff! Quem não tem cão…
    Porque – ESTA eu não erro, é barbada, ou não? AMANHÃ retomaremos um longo caminho, até desembocarmos lááá no Japão de novo! Quem viver verá!

    E para terminar, só esclarecendo o PORQUÊ da expressão “e o touro deixar” aí acima (se a chefia daqui não moderar este comment):
    Lá pelos idos de 1964, ainda no 1º ano de Geologia, como parte de um trabalho de campo pelas grotas de Caçapava do Sul, fim de tarde e NADA de um colega reaparecer no acampamento. Fomos todos esbaforidos atrás e eis que nos deparamos com ele confortavelmente sentado em cima de uma árvore. Indagado QUAL É, se ele IA ou NÃO IA descer dali, ele nem nos respondeu em um primeiro momento, só apontou o dedo para logo ali ao lado de uma cerca, onde víamos um baita touro preto meio que BUFANDO e roçando as patas na grama! Ao que ele então arrematou: Vou descer, sim, se Deus quiser, mas ASSIM QUE O TOURO DEIXAR!

    E amanhã, ó, PRA DENTRO DO TIMBÚ! Se Deus quiser e se o touro deixar!

    Que TIMBÚ, que nada! Ihúúú!

    • Antônio Carlos Pauperio

      Mauro, como não sou dos primeiros no BAC, pois fui bem recebido muito depois, entretanto tenho acesso ao site do BAC como u dos coordenadores colaboradores, me sinto na obrigação de colocar um comentário sobre a tua colocação “E para terminar, só esclarecendo o PORQUÊ da expressão “e o touro deixar” aí acima (se a chefia daqui não moderar este comment):” Não sei quais as informações que você possui, mas todos nós nos sentimos completamente desconfortáveis e constrangidos quando há necessidade de uma moderação em comentários efetuados. Mesmo nessas ocasiões,no BAC nada é feito monocraticamente, pois todas as decisões são conjuntas. Gostaria de esclarecer que a moderação quando efetuada, exatamente por acreditarmos e vivermos o valor da livre expressão, se trata, ou de uma adequação do linguajar utilizado, pois muitas crianças acessam o site, ou quando percebemos que o comentário pode sugerir algum processo por injúria, calúnia e/ou difamação contra o usuário. Assim mesmo, nesses casos, o comentário colocado para postagem fica intocável, pendente de publicação e alguém da coordenação procura entrar em contato com o envolvido para esclarecer a divergência e solicitar as correções necessárias. Não tenho conhecimento de alguém que não tenha respeitado a livre expressão dos usuários e alterado qualquer texto. Estou escrevendo isso com toda a honestidade, sem o conhecimento dos demais, pois, sinceramente, me desculpe esse comentário, mas fico envergonhado imaginando que alguém possa acreditar haver algum tipo de censura no BAC.

      • Mauro Vozão
        Mauro Vozão

        Valeu, amigão, pela consideração!
        Mas então, só como fecho, permita-me dizer que uma das coisas que persigo com orgulho ter herdado de meu velho pai (ao menos EU considero característica boa, digamos assim) é a da humildade. Meu velho sempre foi humilde e simpático, tudo sempre lhe estava bem, jamais o vi criticar alguém, etc. E eu peguei esse GEN, embora certamente longe da mesma qualidade. Aí tendo em conta de que tudo, absolutamente tudo o que fizermos aqui embaixo, um dia vira em nada; logo, práticas como de lealdade, tolerância, humildade, respeito, etc. – linguagem de padreco fora – tratam-se de hábitos a serem perseguidos até por uma questão de inteligência, e de comodidade mesmo, porquanto um sorriso é bem mais fácil do que um choro, não é verdade?
        De modo que, resumindo, para mim tudo estará bem sempre, aí incluído fazerem gato e sapato também com qualquer texto meu, rsss: publicar, não publicar, alterar, acrescentar, cortar, jogar fora, rsss, etc, etc. Em suma, também aqui me considero só mais um humilde soldado em prol da causa maior, que é o nosso Internacional.
        Um fraternal abraço!

  2. Nelson tche

    Amigo Mauro Vozão! Que belo e interessante texto, mexeu com certeza com nosso sentimento de ser colorado.
    Eu sou Colorado seguindo meu velho e finado pai, com todo respeito a minha querida mãe que é azul, mas me pialei pro lado do velho.
    Mas o que botou mais fé na minha religião colorada foi aquele gol do Dom Elis Figueroa em dezembro de 1975, depois daquele gol, o qual apenas ouvi, não tínhamos tv, vibrei com a narração de Armindo Antonio Ranzolin, grito de gol que fez eco nos serros de lagoão entre Sobradinho e Soledade.
    Coloradamnte hoje e sempre, Nelson Ribeiro!

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Pois dá um jeito de CONVERTER essa tua mãe aí, Tchê. Como é que pode uma mãe, que deve ser tão bonita e amorosa para fazer um baita marmanjo galã desses aí, ser de cor AZUL? Tá loko? Negocia com ela que assim tu não lavas mais a louça pra ela, pô! Sério!

  3. Gaude

    Masssáááá!!! Grande Vozão, que inspiração tchê!
    Fazendo todos os “mais vividos” relembrarem e trazerem depoimentos que são verdadeiras raridades. O Pauperio engalfinhado nas telas de arame, cantando papai é o maior…e as balas azedinhas…um primor, também para tirar o bafo de onça quando ia dar uns apertos nas gurias ; o henrique confessando a marca dos pitos. Pois eu fumava o que vinha pela frente. Não tinha marca especial. Era Continental, Minister, Hollywood, Carlton, Hilton, Charm, e quando pitoco ainda, até o Lincoln sem filtro do meu vô eu peguei um e quase desmaiei no banheiro. ( existia aquela pegadinha: “cigarros colombo, cada tragada um tombo.” ) Era parecido.

    O Melo rolou o couro sob o comando do Ernesto Guedes então. Que honra, hein? Eu tentei fazer um teste, mas já era na época do Beira-Rio e lá, sem um bom pistolão ou recomendação do Abílio, hãhã. Acabei indo fazer testes nos pijamas, meu tio era amigo do seu Rolla e fui aprovado, mas tive que escolher entre a faculdade e a bola. Fiquei com a faculdade. Mas deu tempo para jogar uns treinos e fiquei amigo do Éder, que era malandro e se dava bem com a mulherada, aí colava junto na noite com ele e pegava as sobras, rsrsrs.
    Um dia levei ele na Mônica , para conhecer as gurias, o bicho pirou. “Nossa doutor, elas aqui são um exxpetáculo.” ( me chamava de doutor, porque eu estava na faculdade). Aprendi a bater faltas com ele.

    Na faculdade, a filha do Larry era minha colega. Daí eu frequentava a casa do craque e ele era mesmo um “gentleman”. Fazia altos churras nem parecia ser carioca. Escutei muitas histórias do Inter na época dele.

    Agora o futebol nosso de cada dia. Estou contigo e não abro Vozão. Também acho que está se desenhando uma nova etapa na reconstrução no Colorado. É uma pena que seja por vias tortas, e pasmemos, será pela diretoria que entende pouco de bola e não sabe direito oque está fazendo, vai aos trancos e barrancos.

    Tomara o vaticínio do Melo aconteça e possamos saborear mais uma dupla de ataque infernal nas defesas adversárias: Nico e Pottker. O primeiro falta só acertar a pontaria, porque sabe jogar. E isso se arruma com treino, muito treino. O segundo ainda está um pouco desambientado, mas logo pega o gosto , faz mais uns gols e vai ser uma alegria só, ver ele metendo gols à torto e à direito.
    Grande abraço à todos amigos e amigas.

    PS- bem fizeram os pijamas de encarar 8 horas de latão, pela serra, em vez de 1,5h de asa dura indo logo pra Chapecó, no meio da tormenta, até furacão rolou ali pela área…seguro morreu de velho…rsrs.

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Putz, Gaude, depois daquela tua obra prima aqui, não adianta nem eu tentar me aproximar de um texto daqueles.
      E assim, ó, se te disser que não botei mais do só um tiquinho prá fora… Por exemplo: Fui o único dos cinco filhos que nasceu em hospital, os outros todos de PARTEIRA. Mas o mais importante está no seguinte detalhe: Morando nas grotas de Cruzeiro do Sul, no dia em que este criado aqui iria nascer, o velho Adolpho teve que levar a Elvira Elisa com sua barrigona DE CANOA até a parada mais próxima, porquanto fazia uma baita ENCHENTE naquele dia de junho de 45 por aqueles cafundós, hehe.
      O importante, desta frase, note, é que, portanto, eu emergi DAS ÁGUAS, igual que o nosso Beira Rio também! O que te parece? Daria para nascer azulino? Não, não daria, né? Abração! E parabéns, mais uma vez, por aquele belíssimo texto TEU!

      A propósito: Ô meu querido Paulo Melo! Intima MAIS gente dessa turma aqui, sobretudo dos coçadores, para nos brindar também com seus belos textos, tenho absoluta convicção!

  4. Porque todo o treinador que chega no Inter começa a INVENTAR, é uma praga isto ai, não começa com isto, coloca da um na sua, se não vai começar a cavar o fim, porque não dar uma oportunidade para o C.Winck pior deste que estão jogando não vai ser, ou então estão com medo de trazer de volta e dar certo, preferem improvisar a colocar um do lugar, é brabo como dizia ou diz o Noveleto UM DIA EU AINDA MATO UM TREINADOR.

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Também já dei uma olhadinha de cara torta pro Guto, Henrique. Por perfil meu, vestiu vermelho, tô junto. Mas não gostei dele na estreia, quando considerei que ele bancou muito o MÚMIA à beira do gramado, totalmente incólume enquanto o Juventude vinha para cima de nós da metade do 2º tempo em diante. Já contra o Figueira, considerei que ele foi MUITO BEM naquela sua atitude de botar os guris com todo o leite. E já agora ele parece querer degringolar de novo: Eu sei que o Edenilson foi bem TAMBÉM como lateral no Corinthians, só que ele está igualmente MUITO BEM ali no meio e temos, bem ou mal, QUATRO laterais direitos (Junio, Danilo Silva, Ceará e Alemão – em ordem de minha prefererência), para ele então DESMOTIVAR? Só para botar o fulguroso FABINHO ali? Abç!

  5. Meu caro Vozão:
    Foi exatamente isso o que eu falei, ou seja, que L.Ortiz não é culpado, mas, sim, vítima do sistema pois, sem meia cancha, o zagueiro fica sempre no mano a mano com o atacante. E sem o meio, os zagueiros são obrigados a dar chutões, pois ninguém se aproxima para sair jogando.
    Na minha modesta opinião, LO é o melhor que temos na zaga pelo lado direito. Quando acertarem o sistema defensivo, sua performance deve melhorar muito!
    Grande abraço!

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Claro, grande Zé! Eu já falei, que com um tipo Caçapa à frente, te garanto que o PAULÃO se consagraria. Até não sei se MAIS do que Figueroa, rsss! Sério! Abç!

  6. Mauro Vozão
    Mauro Vozão

    O CASO VALDÍVIA

    Como já repeti muito, e agora ratifico mais uma vez, EU respeito religiosamente, NA ÍNTEGRA, cada letra, frase, vírgula, tudo o que de qualquer COLORADO emanar a respeito de nosso amado clube. Restringindo-me à simples concordância, ou não. Assim me faculto o direito de TAMBÉM ter minhas opiniões firmes.

    Sobre Valdívia, por exemplo, inobstante não bem atinente à pauta de hoje. Só para não desprezar a ocasião, eu que o vi ontem estrear pelo Galo.
    Nenhuma atuação de encher os olhos, como ao menos EU previa, até ele se ambientar melhor.

    Para vaticinar sobre mais isso: Logo será MAIS UM a nos fazer chorar de saudade, como no recente caso de Lucas Lima. Até pode que me engane, mas acho que não.

    Em um outro portal, por amostragem contabilizei que mais de 80% dos colorados checados sinalizam que esta terá sido MAIS UMA grande MANCADA de nossos gravatinhas!
    Ah, mas ele não estava mais A FIM! Ah, É? Aqui, ó! Desculpem, mas para o velho aqui, que já lidou MUITO com tipos similares, mais este caso tem nome: INCOMPETÊNCIA GERENCIAL! E estamos conversados!
    Penso que logo muitos sentiremos saudade dele. Só penso! Mas olha que não vou errar mais esta, hein!
    Quem viver, verá!

    • Wolfgang Weittefooder
      Wolfgang Weittefooder

      Vozão e colorados, bom dia!

      Valdivia – estou 100% de acordo. Aliás, escrevi que era o único reserva no Inter que poderia provocar alguma mudança na mesmice que é o time. Porque tirar Carlos e por Brenner ou Roberson e vice versa, dá no mesmo, exatamente no mesmo. O Inter recebeu compensação financeira pelo empréstimo, entre elas não pagar a última parcela do Eduardo Henrique, que já foi emprestado ao Atlético PR.

      Ferrareis – que seja Feliz. Jogar em time de menor expressão faz jogadores médios, medianos, melhorar a performance pela baixa pressão.

      Andrigo – que seja feliz.

      Seijas – bom se é para improvisar Uendel no meio, por que não Seijas? Ele não é tão abaixo do Gutierrez. Acho que faltou um trabalho para recuperar sua auto-estima. De qualquer forma, não vou chorar as pitangas.

      Winck – eu respeito aqueles que acham que o Winck deveria ter uma nova oportunidade. Eu ainda tenho na retina jogos horrorosos dele quando atuou pelo Inter. Tomava dribles ridículos. Muito fraco. Fracassou na Itália, fracassou na Chapecoense e agora está jogando bem no time B do Inter, mas jogando contra quem mesmo? Tem boa técnica e sabe bater bem na bola, mas na lateral, a primeira qualidade é a marcação e aí ele é fraquíssimo. Vou torcer para morder a língua.

      Alan Costa – não sei se todos viram o jogo do Fluminense contra o Vitória. Me deu pena. Uma bola foi cruzada rasteira na área do Vitória, ele estava sozinho e errou em bola. Henrique Dourado agradeceu e guardou. Vitória caminha inexoravelmente para a Série B ano que vem.

      Paulão – já falei ontem. Que seja feliz e continue tomando as sacolas que o Vasco vem tomando. Nenhuma saudade.

    • João Colorado-Pr

      Pois é Vozão,eu me referi ao Valdívia no meu comentário pois penso igual,o Wolfgang tbem já dizia q ele era o único no plantel capaz d mudar o norte d time,os outros são mais d mesmo…
      Aqui num time d série B ele era reserva,perdeu motivação,no Galo q é d série A ele é titular,dá p explicar esses “profexores” ???…abs!!!

      • Mauro Vozão
        Mauro Vozão

        Só para não deixar passar batido sem resposta também esta, João:
        Já externei também que Guto NÃO era meu preferido, eu optaria por um mais cascudo. Mas veio, sobretudo divulgado pela Rádio Arigó (aquela de bastidores) que muito por amor ao Inter também. Já por isso, vá lá.
        Na 1ª mostra dele, mumificado à beira do gramado enquanto o Juventude nos pressionava, não gostei, e disse isto.
        Já na 2ª, amei o peito dele em Floripa – e aí, a propósito de ora criticar ora aplaudir, repito uma de minhas máximas, de que não tenho rabo preso nem com meu amigo Jota Cristo, quanto mais por barbados aqui de baixo, meu negócio é INTER! Ao próprio Falcão, da última vez que conversei com ele, disse-lhe, e ele ficou de cara com o velho aqui, que infelizmente ele me parecia muito FINO para DAR ORDENS em um vestiário cheio de cascudos malandros e da pesada (ser COLEGA é DIFERENTE, também o Wolfgang aí sabe melhor do que eu); e até muito MÃO NO QUEIXO à beira do gramado. Nem MÚMIA, nem MACAQUINHO, para treinador, penso eu.
        Mas agora o Guto já me sinaliza querer a vala comum, dos “profexores” como tu escreveste e aí, putz, lá vamos nós, pela zilhonésima vez, REZAR para dar certo! MAIS UMA VEZ! E, claro, TOMARA que dê! Só não abro mão de perguntar: Um bom time não se faz também com REPETIÇÃO de escalação? Se faz, sim, né? Abç!

  7. João Colorado-Pr

    Boa tarde Vozão e colorados…

    Mas bah tchê,eu sou d tempo do Valdomiro e Claudiomiro q tbem fizeram uma dupla goleadora nos anos 70,sou colorado por influencia do pai,apesar de que n era fanático q nem os filhos,colorados tds cinco…
    Como passei a infância no interior d Rs só ouvia o Inter pelo radinho,assisti pela primeira vez ao vivo qdo já morávamos em Curitiba (daí o Pr q uso,apesar d agora morar no oeste) .Uma das partidas memoráveis foi aquela d 1976 apesar d derrota (1×0 p o Coritiba)…

    Mudando o assunto ontem assisti um pedaço d jogo d Atlético Mineiro e lá estava o Valdívia,aí fiquei pensando: Q tipo d negócio foi feito pois n veio jogador nenhum e nem ouvi falar em compensação financeira???
    E o Paulão hein???
    Assisti tbém segunda Bahia x Atletico Go e lá estavam Andrigo e Ferrareis e o pior é q o Ferrareis fez um gol,morro e n vejo tudo…kk Abs!!!
    PS: Vozão ainda n pus minha lata aí pq periga a foto ficar maior q meu texto…kk

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Mah, meu querido João! No tempo do Claudiomiro “eu fiz que fui mas não fui, acabei fondo” este criado aqui já há horas corria veados por esses campos do Brasil como geólogo, hehe, quase VOZÃO, já!
      Sobre Valdívia, dei uma pitaqueada em separado, aí acima!
      Mas tua lata não é a que vejo aí, já de um gaúcho grande e gordo como o Luciano Périco, bogodudo e de chapéu para disfarçar a careca? Abç!

  8. Não sou do tempo de vcs, mas atualmente ou até um passado recente tive uma BRONCA SÉRIA AQUI COM MEU FILHO DE NOVE ANOS DE IDADE, o cara não queria de jeito nenhum ser COLORADO, alías deixa eu abrir um parentese aqui ‘CIRANÇA NÃO VIVE DE DERROTAS” ATÉ ALGUMAS PODEM APRENDER COM ELAS. POIS NO COLÉGIO SÃO SERVIDOS DE CHACOTAS .

    • a

      Pois recomendo que IMPONHAS tua autoridade, Vanderlei! Ué! Tu MANDAS ou NÃO MANDAS nessa baia aí, rsss! QUASE só futebol, mas inegociavelmente SÓ ALEGRIA aqui, né, rsss! Abç!

    • Antônio Carlos Pauperio

      Vanderlei, verdade, ser criança e torcedor de time perdedor é muito difícil… No meu caso eu tive sorte, pois havia o pai de dois amigos meus, gremista roxo, que por ser o dono da bola e do jogo, não deixava os guris Colorados jogar. Sentávamos no “cordão da calçada” e ficávamos vendo eles jogarem (muito mal, por sinal). Se virasse gremista, poderia entrar e jogar. Ninguém trocava de time, pois ninguém queria ser “vira casaca”. Quando pensavam que estavam fortes, o “cara” chamava a gente, certo que era para perder o jogo, mas era só começar e a sequência de “balõezinhos”, “janelinhas” e dribles de deixar guri sentado, fazia o “véio” acabar com o jogo e xingar a gente de “maloqueiros”. Nossa reação era rir muito e esperar a próxima oportunidade, mais Colorados ainda.

  9. Bom dia a todos……

    Eu pensei ser o mais velho daqui, mas o vozão me ganhou, sou de dezembro de 1945, sou um guri perto do MVozão, e para o Pauperio por acaso este lado direito das sociais dos eucaliptos não ficava abaixo da torre de iluminação daquele lado, se for eu também ficava ali agarrado ao alambrado, porque ali ficava perto do banco de reservas e da porta do vestiário, este lugar era embaixo daquele pavilhão grande da social, bons tempos aquele, já era metidinho a facão sem cabo, fumava porque naquela época fumar era charme, toda esta gurizada fumava o meu era Holywood (era assim que se escrevia?) e as vezes o Minister, estava começando a era do cabelo cumprido logo depois chegou a jovem guarda e a bendita ditadura, que não me atrapalhou em nada na minha juventude, pela simples razão de eu trabalhar, estudar, jogar bola, para outros que não faziam isto e tinham outro pensamento ela foi ruim, mas deixa isto p/la, como dizia meu vo Ernesto CADA UM, CADA UM.

    Futebol;

    Não é que eu queira seca-lo, ou querer o seu mal, mas será que tem alguém com saudade do Paulão depois do jogo do Vasco ontem, não é que ele tenha sido o responsável pela sacola de ontem, mas ele faz lá rigorosamente o que fazia aqui, ou seja falhas pontuais que resultam em gol do adversário, ele aparenta ser uma coisa que não consegue ser, porque tem saúde, pula alto (quando não precisa), da as caras e isto é uma virtude sua, mas o positivo disto é quase nada.

    Já estou ouvindo alguns dizerem para deixar o time de sábado, calma nesta hora, este time valeu pela entrega vontade, força, juventude, e fundamentalmente pelos 3 pontos, não esqueçam que houveram falhas gritantes durante o jogo, e a frquesa do Figueira fez com que não tivéssemos prejuízos, é logico que apareceram coisas boas, como a volta do Charles, a surpreendente atuação do Fabinho, o Potker no segundo tempo jogando mais perto da sua, e a entrada do guris da base.

    quanto aos jovens da base há que se ter cuidado, para não o mesmo que esta acontecendo com o LO, que nos primeiros jogos encantou, e depois foi vitima de um time mal treinado, junto com o momento que não é favorável a lançamento de jovens da base, tomara que eles ainda consigam recupera-lo porque será outro a ser lamentado ali adiante COMO DEIXARAM SAIR, exemplo Lucas Lima, Ricardo Goulart, e agora João Paulo.

    Fiquei sabendo que tentaram trazer de volta ao time principal, CLAUDIO WINCK, não tenho a mínima duvida que joga mais que Junio, William, mas que diretores vetaram alegando ser ele ruim de vestiário, mas por favor a ser verdade é uma total alta de capacidade de gerir um departamento, para que servem estes caras se não são capazes de contornar um caso deste, eu lembro e alguns aqui vão lembrar do grande LULA na década de 70 quando o Dalegrave, Balve, diziam o LULAode incomodar na semana desde que ele incomode os adversários no domingo, o caso é que estes diretores citados não existem mais e estamos nas mãos, dos Melos, Pelegrinis, da vida verdadeiras antas e que não uerem se incomodar. se não querem vão para casa e dão lugar para quem queira

    • Antônio Carlos Pauperio

      Henrique, quando coloquei lado direito estava falando de dentro do campo, olhando a social. Da social, era no lado esquerdo, onde bem no canto ficava o vestiário dos adversários.

    • Alô você Henrique!
      Minha MEMÓRIA é muito fiel a essas citações, especialmente quando se trata de um local poético como foi o Estádio “Ildo Meneghetti”. Pois a torre de iluminação ficava exatamente à direita do chamado pavilhão social (Tínhamos quatro torres, uma em cada córner, tenho imagens não muito nítidas mas é possivel perceber isso que lhe falo, se quiser posso lhe mandar). Em algumas vezes era por ali que a equipe do Inter “entrava em campo”. O vestiário principal ficava bem sobre a metade do pavilhão (cheguei a usar quando dei tímidos bicos na bola, na segunda metade dos anos 60, a comando do Ernesto Guedes) . Então porque entravam por ali de vez em quando? Porque era o caminho que vinha da Capela Nossa Senhora da Vitória. Quando a coisa apertava (comum naquele tempo) o pessoal ia pedir uma ajudinha a Santinha e então entrava por ali.
      Coloradamente,
      Melo

      • Perfeito Paulo a descrição esta correta, e a capela ficava em frente a porta de entrada do vestiário, entre esta porta e a capela era bem largo antes do jogo começar o pessoal ficava por ali corneteando, realmente era um lugar poético, mas sofremos muito ali, foi quando e grêmio enfiava campeonatos 8 em 9, se escapou o de 1961, mas ali eu estava começando a ir nos estádio já era colorado. mas não ia muito, mas lembro deste campeonatp, Silveira, Zangão, Ari hercilio, kim, Ezequiel, Sergio Lopes e Osvaldinho, Sapiranga, Alfeu, Flavio (larri), Gilberto Andrade, técnico Sergio Moacir Torres Nunes, presidente Epfrain Pinheiro Cabral, irmão do Cid Pinheiro Cabral e tio do Claudio Cabral. salvo alguma façha de memoria.

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Henrique, meu guru! Ih, pensei que era DISPARADO o maior VEIÃO daqui, hehe! Agora só falta nos achar aqui o Patetinha, pra vir nos dizer que ele é BISA, haha!
      Bom, com tantos anciãos pintando, já tô querendo mudar minha alcunha para Mauro MAISUM Vozão, rsss!

      Olha, já disse que não morro nada nada de amores pelo negão aquele, mas ATÉ ele, Paulão, hoje, se consagraria como zagueiro, tivesse à sua frente um CENTERFOLVA (na linguagem popular, não centerforward, como daqui a pouco aparecerão os ecléticos aí que nem o Wolfgang, notórios, para corrigir) como o saudoso Caçapa! Não tenha dúvida disso, amigão!
      Me diga aí: Porque DEIXAM levantar para o nosso chuveirinho TANTAS bolas assim? Quem é que DEIXA cruzar tantas bolas para a nossa área? Hein? William, Carlinhos… Pois então! Não te parece COINCIDÊNCIA que agora a torcida colorada já está começando a queimar também o Ortiz, e ATÉ o Cuesta? Bola em jogo!

  10. Mauro Vozão
    Mauro Vozão

    … E mais: MUITO BOAS as ilustrações escolhidas para ilustração do texto, que pode estar ruim, mas as figuras… COMO ficaram bonitas, rsss!
    Parabéns aos responsáveis!
    É por essas que repito que quero continuar escrevendo, aprendendo, para UM DIA também ainda ser um bom blogueiro!

  11. Wolfgang Weittefooder
    Wolfgang Weittefooder

    Vozão, muito bom, mas, sinto muito, eu fiz melhor…nasci de pais e irmãos gremistas (sou o mais novo) e decidi ser colorado, mesmo que na maternidade me tenham colocado o carimbo de gremista. Meu pai me ameaçou deserdar, mas como não tinha onde cair morto dei com os ombros….para o grêmio nunca torci, nem naquele jogo contra o Flamengo em 2009, por isso sempre aviso ao meu Inter, não fique na dependência do grêmio, porque, indiretamente, torcerei contra o Inter circunstancialmente.

    Aproveitando para dar um cutuco nos paulanianos…domingo o grêmio fez gol no Vasco fazendo linha de passe dentro da área pequena do Vasco…ontem o Corinthians, aquele que tiramos da CB, deitou e rolou, fez linha de passe quando e como queria na zaga do Vasco…e lá estava o indefectível Paulão assistindo a bola passar para lá e para cá…Jesus…viva Leo Ortiz e Victor Cuesta…esta zaga, mesmo não sendo uma Brastemp, não toma goleada…nem de Grêmio, nem de Corinthians e nem do Palmeiras…

    • a

      Boa, boa, Wolfgang! Nascer de pais gremistas então é melhor do que de colorados! Pois olha, te afirmo com toda seriedade que o caso requer: Se ao já me reconhecer como gente e ficar sabendo que meus pais eram gremistas, eu já já picava a mula de casa!

  12. Em postagem anterior, em referências as vaias da torcida contra o L. Ortiz, eu disse:

    “Já está começando a caça às bruxas. Agora é o Ortiz. Eu já tinha falado aqui neste blog que o Ortiz estava se transformando no Paulão branco. Não é por culpa sua. É mais uma vítima do sistema. Sem meia cancha o zagueiro fica sempre no mano a mano com o atacante. E sem o meio, os zagueiros são obrigados a dar chutões, pois ninguém se aproxima para sair jogando. Assim como antes aconteceu com Paulão, agora o Ortiz está virando a Geni da vez. E outros mais vão ser queimados.”

    Como antes não vi citação de Geni em postagem de parças do blog. imagino que falando sobre a zaga do Inter, na única palavra grafada em maiúscula da postagem do Henrique, GENI tenha sido uma ironia em referência ao que eu escrevi. Se não foi, tudo bem. Se foi, tudo bem também. Só que em qualquer circunstância eu prefiro crítica direta, citando meu nome. Indiretas podem dar azo a dúvidas.

    Abraços a todos os parças do blog!

    • a

      Grande José! Como já disse e aqui agora ratifico, igual que respeito RELIGIOSAMENTE toda e qualquer letra e vírgula pronunciada por quem é COMPROVADAMENTE colorado, também este humilde criado aqui tem opiniões e suficiente personalidade para manifestá-las, independente de fazer média com quem quer que seja; sempre sob o guarda-chuva do mínimo respeito, é claro. Assim, vejo em Léo Ortiz um bom futuro, ele AINDA não me parece um GRANDE zagueiro, até pelos defeitos da IDADE. Mas ao meu juízo leva jeito e acho que merece nossa força. Também escrevi em outro Blog um Post sob o título de A TORCIDA COLORADA É MURRINHA no qual insiro o MEU como primeiro nome da lista (também já disse que QUANDO não tenho de QUEM zuar, zuo (socorro, profes de portuga) de MIM MESMO, rsss). No BOM sentido, óbvio, mas ela É! Sobretudo no tocante à EXIGÊNCIA a CURTÍSSIMO PRAZO! Não será também o caso de Léo Ortiz, MAIS UM, como lembro bem o recente, de LUCAS LIMA? Também acho que, com um Caçapava ali à frente, até o Paulão se consagraria, imagina o Figueroa! Abração!

    • Jose não entendi o teu recado, o amigo esta brabo porque eu grifei a palavra GENI, eu so tenho dizer que nem sabia que tinha usado esta palavra com relação ao Ortiz, mas de qualquer maneira não tive intenção nenhuma em ironiza-lo, se o amigo tem restrições a ele como jogador tudo bem respeito a tua opinião.

  13. Mauro Vozão
    Mauro Vozão

    EM TEMPO:

    Gostei TANTO dessa expressão, Paulo Melo, COLORADAMENTE, que SE não tiver que te pagar royalties, porque sou um pelado, prometo a mim mesmo passar a usá-la no fecho de meus MEMORANDOS, doravante, particularmente dos destinados aos gremistas, em lugar daquele manjado “atenciosamente”!

  14. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    VOZÃO, SEGUE UM COMPLEMENTO !!!

    Esta foto aí do Sr. Larry Pinto de Faria de braços abertos, quando olhei com o meu olhar 43 e bem de longe, imaginei que fosse o Mauro Vozão !!!

    Abs. Dorian Bueno, POA

  15. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    MEU QUERIDO AMIGO, TIO, MAURO VOZÃO !!!

    Como eu ainda não tinha saído do meu Pai para ir para o ventre da minha Mãe, não pude usufruir desta linda época que os mais antigos vivenciaram com o nosso Colorado.
    De qualquer forma, segue o que eu penso sobre o momento atual.

    EM BUSCA DE UM NOVO TIME COLORADO !!!

    Precisamos continuar escalando muito mais alguns dos nossos jogadores da base como os que ajudaram a vencer o FIGUEIRENSE por 2×1, e mesclar com quem tiver melhor dos antigos titulares.
    Já que alguns jogadores estão sem pernas para correr 90 minutos, quem sabe o gancho de ontem foi o motivo certo para que o Guto pudesse fazer as modificações sem stress.
    O Ortiz já foi para a reserva, William já vazou, Carlinhos está de freio puxado, Uendel tem sido um curinga que não funciona, Fabinho às vezes joga bem e outras não, Dourado é o melhor do time jogando na primeira função, Edenilson tem cansado muito rápido, Gutierrez que fique lá Chile, D’Alessandro bom, este tem jogado sozinho meio tempo e precisa de uma parceria no mesmo nível, Cirino ainda não engrenou, Carlos está fora de rotação, Roberson e mais o Brenner podem voltar para o Juventude, Pottker precisa ser escalado na posição certa, o Nico chuta muito com os olhos fechados, e nem sempre a bola obedece ele.
    Boa sorte ao Guto ( Gordiola) nesta remontagem do Internacional !!!

    Abs. Dorian Bueno, POA, 08.06.2017

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Pô, Dorian! E PORQUE é que tu não deste um CARTEIRAÇO, pulando prá fora de uma vez? Nem sabes O QUE perdeste, hehe!
      Veja: OUTRA que minhas irmãs mais velhas me contaram depois (hoje ainda tenho uma de NOVENTINHA E DOIS, a qual só cubro de denguinhos, até porque me trocou muitas fraldas), é que eu fui o ÚNICO dos cinco casos a nascer em um hospital, os outros todos todos de PARTEIRAS; que meu velho teve que me levar DE CANOA na barriga da mama, porquanto era dia de ENCHENTE lá nas grotas de Cruzeiro do Sul. Por aí já se deduz TAMBÉM que meu destino estava traçado para igualmente emergir DAS ÁGUAS, tal como seria o caso do Gigante da Beira Rio, dali a 24 anos. EITAAA!

      … E toda essa conversa para ver se o tempo passa rápido, até o próximo sábado quando, agora sim, com ao menos um INICIANTE DE JÓQUEI, começo a acreditar PIAMENTE que estamos REORDENANDO nosso traçado rumo a MAIS UM TÍTULO! Aff! Mas… Ihúúú!

  16. Antônio Carlos Pauperio

    Mauro, realmente, se tentarmos descobrir de onde vem essa paixão pelo nosso Internacional, será muito difícil encontrar a real razão. Verdade, Colorado, nasce Colorado, não precisa ou consegue explicar ou justificar como, simplesmente tem a graça de nascer Colorado. Acredito que sejamos alguns “escolhidos” para usufruir de imensa e intensa alegria. Lendo teu texto, “viajei na memória” e lembrei de muitas histórias (sim, histórias, não estórias) de minha infância. Sim, foi meu pai Fredy e meu irmão Fernando, ambos falecidos e amigos inesquecíveis, que me fizeram cultivar esse amor Colorado. Passei minha infância escutando os jogos de nosso Internacional no rádio ou vendo, agarrado no alambrado ao lado direito da social dos Eucaliptos. Na minha mente vem nossas cantorias “Papai é o maior, papai é que o tal…”. Depois com a realização de nossos sonos, a nossa nova casa, o majestoso Beira Rio, com quatro cadeiras cativas, curti muito dias memoráveis com meus amigos e inseparáveis filhos, Alexandre, Guilherme e Leonardo. De sobra, de vez em quando, levava a um jogo fácil (com previsão de goleada) algum guri que estava com alguma dúvida em ficar no outro lado. Depois dos picolés, balas azedinhas, amendoins e pipoca, convencimento certo e voltávamos com mais um Colorado. Tempos inesquecíveis que não voltam mais, a não ser em nossas abençoadas memórias. Por essas e outras razões, sempre disse aos meus filhos e digo hoje aos meus netos, que o amor faz parte da essência das pessoas, é sentimento puro e intenso, muitas vezes de origem inexplicável, mas de um “sabor” indescritível. Gostaria muito de citar nomes, mas tenho receio de cometer injustiças, pois vi muitos craques honrando a camisa Colorada e nos enchendo de alegrias. Chego sempre a conclusão de que, ao longo de meus 70 anos (71 anos a partir do dia 16), os momentos de tristezas foram ínfimos perto da imensidão de momentos de intensa felicidade. Acredito que a escolha de ser Colorado tem muito a ver com mérito pessoal de outras vidas e se trata de sinal de inteligência nessa vida. Um abraço Colorado a todos.

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Putz, meu querido Paupério! Não é que, agora te lendo, descubro que temos ALGOS em comum? Por exemplo, começo citando que somos geminianos (do MEU dia eu declino senão vão vir os tapinhas nas costas e eu já não quero me sujeitar a doenças pulmonares, com este frio todo, né, rsss). Mas não para por aí. A bala azedinha, ah, a BALA AZEDINHA! E a bala MOCINHO? Raios, nunca mais achei para comprar a bala mocinho! E ainda sobre irmãos, o meu único, que resolveu estudar para ser ALFAIATE, enquanto eu me mandava pras capital para virar doutor (e pobre, naturalmente, enquanto ele quase só fazia DUAS coisas na vida – contar dinheiro e assobiar aquela marchinha INFAME do “Até a pé nós iremos”).
      Coisa boa reminiscências assim! Eu sei que quem nos lê aqui não tem nada com isso, mas que para nós é bom, é, não é mesmo? Valeu! Choca aqui!
      E, mah, EU gostaria de ler também, porque sou guloso, OUTRAS mais, nem que de uns mais piás, como do José, do Henrique, de quem poderia ser meu netinho, o Gaude, etc, etc.

  17. Alô você Mauro Vozão!

    Nico e Potker se inspirando em Larry e Bodinho, seria reeditar uma história das mais fantásticas escritas pelo nosso INTER. Ainda menino, pelas mãos do seu MELÃO, penso te sido Larry o meu primeiro ídolo, sujeito de fino trato, educado. Carioca que se apaixonou pelo INTER e por Porto Alegre, levava para dentro do campo a finesse que era sua marca registrada e não por menos foi denominado “Cerebral”. Se ambos (Nico e Potker)chegarem próximos de dessa magistral dupla, estaremos pra lá de bem servidos.
    Coloradamente,
    Melo

    • Mauro Vozão
      Mauro Vozão

      Grande Paulinho!
      Pois queres saber? Olha, um CUTUCO está me sinalizando que nossa REVERSÃO começou anteontem, com aquela vitória sobre o Figueira. E aos céticos já vou avisando: O velho aqui NÃO costuma errar de muito o seu vaticínio, COMO o de que em BREVES ANOS voltaremos ao galardão máximo da FIFA de novo. Aliás, conforme matéria que também enviei para o BAC aí publicar no dia em que algum de nossos notórios blogueiros por algum motivo fizer FORFAIT, como por exemplo se ganhar na mega sena e se mandar. Ou se a Diretoria aí não achar pretensão DEMAIS, né.

      E como já dissecado aqui, não foi uma vitória brilhante, me pareceu mais uma vitória da CAMISA, mesmo. E acho que era um RESGATE desse tipo que estava nos faltando. Porque eu acompanho TUDO o que o tempo me permite sobre futebol. Se possível, vejo TODOS os jogos da A, da B e o que mais pintar na telinha, aí olho para o NOSSO plantel e não me conformo, literalmente NÃO me conformo que bem treinado este grupo não lidere de ponta a ponta essa josca de Série B aí!
      E sobre tabelinha, Paulo, te asseguro que se fizerem METADE das diabruras que Larry e Bodinho faziam, iremos APAVORAR o Rio Grande, parodiando outro de nossos FOLCLORES, o simpático e irrequieto Daltro Menezes.
      Coloradamente (gostei muito dessa)!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*