Glória do desporto Naconal (Imagem: Google)

POUPAR OU NÃO JOGADORES

Tenho acompanhado diversos comentários sobre a propriedade de determinar algumas folgas para os jogadores do time principal do Internacional, principalmente daqueles que vem participando de todos os jogos. Acredito que a principal razão da torcida ser contrária é devido a queda à Série B, o time até hoje não estar desempenhando como todos gostariam e ainda não inspira a confiança necessária. Todos querem os melhores e sempre em campo, mas isso se torna impossível.

Mesmo que fosse reconhecida a importância do período pré temporada ou período preparatório de base, onde predominam os treinamentos de formação geral, com conteúdos e estímulos quantitativos de carga relativos à mobilização de energia, força e resistência, não seria prudente uma carga excessiva de jogos. Por essa razão é que tenho sempre citado a importância da pré temporada, pois é exatamente nela que se define os objetivos para a elaboração e a organização dos treinamentos. Todas as observações, principalmente sobre as necessidades individuais dos jogadores, servirão para direcionar o planejamento anual de treinamentos, individuais específicos ou não.

Sendo verdadeiro e aceito o que está acima, esse planejamento, feito por profissionais da área e fixos no clube, deve estar sempre atualizado e permanecer continuamente, evitando descontinuidades e ficando as alterações, somente para os ajustes necessários, devido aos resultad0os dos estudos das individualidades de cada um dos jogadores na pré temporada e durante as competições..

Não consigo imaginar sucesso em um trabalho de algum treinador sem o assessoramento de uma equipe capacidade de médicos, preparadores físicos e auxiliares. Hoje a presença desses profissionais em um grande clube é indispensável, assim como a utilização de todos os recursos tecnológicos disponíveis para o futebol. Acredito que o Internacional tenha disponíveis as melhores condições à realização de um excelente trabalho nessa área. Sinceramente, desconheço como o nosso clube trata desse assunto, pois pela imprensa tomamos conhecimento somente da exigência de treinadores contratados que trazem consigo o preparador físico.

Trazendo o assunto para o momento, atualmente observando o desempenho dos jogadores Colorados em campo, podemos constatar que há um desgaste evidente, principalmente a partir da metade do 2º tempo. Algo parece não estar ocorrendo conforme planejado

Na minha leiga opinião, os jogadores de ataque, meio de campo e defesa durante uma partida executam uma grande variedade de deslocamentos com intensidades e exigências diferentes. A maioria dos lances de gol ocorre quando os jogadores Colorados de ataque utilizam sua velocidade máxima para se desmarcar, driblar e chutar. Hoje, no atual condicionamento físico e pela forma como são orientados a jogar, não só atacando, mas também marcando e defendendo, indo e voltando, durante todo o jogo, não estão conseguindo a velocidade necessária, explosão, potência e concentração em seus chutes, tornando-se presas fáceis para os defensores adversários. Acredito que, hoje, nas atuais condições físicas, se a forma de atuar em campo fosse modificada, o aproveitamento de todos os atletas seria muito melhor, caso atuassem em um espaço menor, ficando o recuo máximo, somente quando de faltas perigosas ou escanteios com bolas alçadas para a área, mas mesmo assim, não todos os atacantes, havendo entre eles uma alternância.

Com o atual calendário da Série B, do campeonato brasileiro, se torna quase impossível seguir as recomendações internacionais de respeitar um período regenerativo eficiente. Os estudos específicos da área citam que após cada jogo, o tempo de recuperação de cada atleta é diferente, podendo ser de 36 a 48 horas, respeitando a individualidade de cada um. Se esse tempo não for devidamente respeitado dificilmente o atleta terá a manutenção de sua máxima performance ou ficará imune a lesões musculares evitáveis.

Acredito que considerar como sendo privilegiados, os jogadores de futebol de grandes clubes, não se trata de nenhum exagero, pois o que recebem por seus serviços profissionais, as condições que possuem para sua execução e todos os demais ganhos pessoais e materiais, são inacessíveis à esmagadora maioria dos trabalhadores brasileiros. Coloco isso, pois o foco da abordagem na postagem, essas condições não estão sendo questionadas ou em pauta, pois mesmo estando falando de jogadores, estamos direcionados às melhores condições físicas e emocionais para que seus desempenhos sejam sempre de alta performance.

Para encerar, mesmo não gostando, devido à expectativa de retorno à Série A, mas, por outro lado, pensando no futuro de cada atleta, na sua maior disponibilidade em excelentes condições físicas e considerando o grande número de jogadores de qualidade que possui o plantel Colorado, me curvo às decisões responsáveis e corretas adotadas pelos profissionais dessas áreas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Antônio Carlos Pauperio

Antônio Carlos Pauperio
Sou apenas mais um dos simples torcedores do nosso INTERNACIONAL. Atualmente resido em Salvador, na Bahia, mas mesmo distante continuo sempre acompanhando e torcendo pelo sucesso de nosso Colorado e pela alegria da nossa torcida. Para acompanhar o que escrevo, fora do nosso blog, acesse o endereço http://discutindoavidanormal.blogspot.com

42 comments

  1. Nelson tche

    Pauperio, esse é um tema deveras difícil. Como torcedor que sempre quer o melhor pro Inter, quero vencer sempre, e com time sempre titular em campo, parecemos estar sempre mais próximos da vitória. Fiquei um pouco frustrado com os rodízios pelo claro exagero cometido pelo Diego Aguirre. Ele poupou tanto os jogadores que ficou claro o desentrosamento na hora H, por muito pouco não ganhamos aquela libertadores.
    Mas reconheço que esse calendário de jogos em sequência pode ser difícil manter sempre o time titular, mas acho que deve-se mexer pouco por vez, exemplo, a cada jogo poupar dois ou no máximo 3 jogares, um da defesa, um do meio e um da frente. Nunca mais do que isso.
    Abraços

    • Antônio Carlos Pauperio

      Nelson, você está corretíssimo. Também penso assim, meu texto foi somente para ilustrar os desgastes de um calendário de jogos muito mal feito e que provoca o desgaste excessivo e desnecessário dos atletas. Por essa e outras razões os grandes clubes levam vantagem, pois possuem plantéis superiores em número e qualidade.

  2. Wolfgang Weittefooder
    Wolfgang Weittefooder

    Inter 4 x 2 Náutico

    – Ganhamos, gostei, mas não gostei da performance. Tomar 2 gols do lanterna da Série B, jogando em casa, sendo que um destes gols foi quando o Inter tinha 11 contra 10, é inaceitável. O Náutico, para quem não sabe, fez 3 gols até agora na Série B, dois deles contra o Inter no Beira Rio.

    – Time desequilibrado, não adianta insistir nesta ideia de 3 atacantes. Os times marcam o D’Alessandro e acaba a armação do time. Eu estava até irritado com o D’Alessandro, que parecia estar muito mal no primeiro tempo, mas quando refleti melhor e olhei como o time estava organizado percebi que o problema é este desequilíbrio. Os 3 atacantes são….atacantes por característica…meu Deus do céu, entra e sai treinador e os caras não enxergam que o Inter precisa equilibrar o meio de campo, se não estoura na zaga, que é fraca.

    – Destaques – Potker foi o melhor. Fabinho de novo jogou bem. Carlos começou bem e deu azar do bandeirinha ter visto um impedimento que lhe deveria render uma surra de vara de marmelo, pela mamãe dele, quando chegar em casa, para aprender a não ser burro. Uendel fez um segundo tempo muito bom. Acho que o descanso lhe fez bem.

    – Guto – tira Nico para colocar Cirino não muda nada seu Guto. Está imitando o ACZ. Tem que colocar alguém para ajudar o D’Alessandro na armação e duplicar a força de organização do ataque.

    – Não gostei do Edenilson na lateral. Não fosse o Fabinho cobri-lo no segundo tempo a coisa poderia ter ficado pior.

    – Leo Ortiz não está bem no lado direito da zaga, aí colocam ele no lado esquerdo…dá no que dá…parecem que estão colocando o bode na sala para em seguida tirá-lo e justificar a escalação do indefectível Ernando.

    – Sequência será contra 2 times que caíram junto com o Inter – América MG e Santa Cruz – ambos ganharam do Inter no ano passado. Espero que o Inter não faça o que tem feito quando fora. Ontem vi o Goiás bater o Paysandu lá em Belém ao natural (gol do cracão Aylon). Enfim, se o Inter se equivaler em vontade e raça contra todos os times da Série B ganha os jogos com facilidade. Agora, se entrar rebolando e se acadelando, vai ficar nesta gangorra.

  3. Dorian Bueno
    Dorian Bueno

    QUE PARTO DIFÍCIL, MAS NASCEU A CRIANÇA!!!
    Foi vergonhosa a primeira vitória na Série B dentro do Beira-Rio.
    Pra mim foram 2×2, pq pênalti não conta já que fizeram dois e erraram dois. 2-2=ZERO. Abs. Dorian Bueno.

    • Antônio Carlos Pauperio

      Dorian, bom resultado. pênaltis justos, aconteceram, dois bem batidos, dois mal batidos.

    • Bom dia a todos. . . .

      Amigo Dorian permita-me, quando perdemos com gol de penalty, vale e conta, e também seria 3×2 porque anularam um gol legitimo do Carlos, me desculpa, devemos valorizar as vitórias e os pontos conquistados, e aprendi que no esporte o Politicamente correto não nos leva a nada, vide 2005, e agora o que estarão tentando fazer na 3º feira no STJD. saudações coloradas???? e bom domingo

      • Antônio Carlos Pauperio

        [one_fourth_last]Henrique, estou contigo. Os pênaltis foram marcados corretamente e dois foram batidos com qualidade e dois não. Também sou mais um Colorado que está preocupadíssimo com esse julgamento no STJD, pois pode se esperar tudo, principalmente com essa má vontade com as coisas de nosso Internacional. Esse prejuízo regional, nacional, intencional e contínuo de imagem do clube deveria ter uma ação mais competente e enérgica dessa e da gestão anterior. O que estão fazendo com a torcida do Internacional é lamentável e condenável, sob todos os aspectos. Se calar e se encolher, não me parece a melhor posição para um grande clube. lamento a posição parcial de parte da imprensa gaúcha, pois quando trata-se do tradicional adversário, levantam a bandeira de defesa incondicional. Nada melhor que o tempo…

      • Dorian R. Bueno
        Dorian R. Bueno

        Olá Amigo Henrique !!!

        Eu tinha tchê respondido ontem pela manhã, mas não sei o que aconteceu com o comentário que fiz, sumiu daqui.

        Tudo certo !!!
        Concordo, o que valeu foram os três pontos, e ponto final.
        Agora, cada vez que me lembro dos pênaltis errados pelo Valdívia e Paulão ano passado pelo Brasileirão 2016, e na final do Gaúcho 2017, penso que não estaríamos agora aqui lamentando ou vibrando com os pênaltis acertados e errados contra o desfalcado Náutico.
        Vamos conquistando três pontos do jeito que for possível, mas sempre dentro das regras como no sábado.
        Sinto que estou ficando cada vez mais exigente com o nosso Colorado, pelo fato dele ainda ter conseguido me empolgar.

        Abs. Dorian Bueno, POA, 12.06.2017

  4. joga um so torneio, jogar sempre

    • Antônio Carlos Pauperio

      André, gostaria d responder seu comentário, mas não entendi o que queres dizer.

      • Nelson tche

        Amigo Pauperio, não conheço o André, ainda não o tinha lido, mas imagino que tenha opinado sobre seu texto, que o Inter está jogando apenas uma competição, por isso deve jogar sempre (com titulares).

        • Antônio Carlos Pauperio

          Nelson, ok, obrigado, mas mesmo assim o período regenerativo de 36 a 48 horas deve ser observado. Ao alisarmos o calendário do futebol brasileiro na Série B, com jogo Sábados e Terças, em locais distantes entre si, com todo o desgaste de locomoções e hospedagens, podemos ver que o desgaste físico é muito grande. Conforme a idade e a quantidade de jogos, isso não é bom, não permite o descanso necessário e pode levar a lesões sérias e com afastamentos prolongados.

  5. Gaude

    Prezado Pauperio, tocas na ferida que faz “dodói” na grande empresa que se tornou o Inter, apesar de não ser levado em conta este padrão( grande empresa)para a tomada de algumas decisões no universo do futebol profissional, quiçá em outros setores, tudo seria diferente, melhor e mais efetivo, sem os tropeços que assistimos, nos “negócios’ realizados, no encaminhamento de soluções que precisam ter o tino profissional e são na sua maioria, caseiras, políticas e amadoras.

    O poupar jogadores em plena atividade no meio da temporada, sugere falência da estrutura física do mesmo para a exigência do jogo ou erro de avaliação desde o início da temporada, quando se prepara o organismo do atleta para a missão de jogar o calendário desorganizado e imediatista como é o brasileiro e o sul americano. Até para isso, é preciso ter-se planejamento e ordem sequencial nas coisas. Preparação, manutenção, avaliação e resultados próximos do biotipo de cada atleta contratado.

    A pergunta é todos os parâmetros desta atividade – a preparação física – estão sendo executados à risca para que o investimento que o clube faz em determinado jogador, seja satisfatório? Duvido.
    Outra pergunta é, e o jogador que é titular, não foi preparado para tanto, jogar como titular e acompanhar o clube para onde ele vai cumprir o calendário? Mesmo que seja um agendamento de datas amador e avesso à críticas que possam trazer melhoramentos, como procede a CBF, notório antro de corrupção?

    Ao Inter fica a missão de fazer o mínimo, viver sob a ótica dura e objetiva de uma empresa rica e que busca ser bem sucedida e para isso, PRECISA se modernizar e atualizar, onde anomalias como essas de poupar jogadores titulares em meio à temporada ou possuir um ativo (jogador contratado)que não dá resultado pelo alto investimento conferido e mesmo assim, tudo continuar como se estivesse indo à contento e o que se espera que funcione como foi pensado, não funciona. Isto se chama de prejuízo pontual, pois tem nome e endereço certo e sabe-se o que precisa ser feito para sanar o problema, mas nada é feito e permanece o manto paternalista sob alguns ativos do clube, que terminam por disseminar um mal estar no grupo que acaba sendo um temporal no vestiário. Haja administração para debelar o prejuízo.

    E esta administração não existe no Inter. Tudo continua como está. Ano pós ano. O furo é mais embaixo e as cobranças são amenas se comparadas com as cifras envolvidas, milhões de dólares e meia dúzia de torcedores gritando na janela da diretoria. Em sampa quebram tudo se nada acontecer e pelo menos, a reação é imediata. Aqui se fica no marasmo até a casa cair.
    Grande abraço

    • Antônio Carlos Pauperio

      Gaude, desculpe, protestar não significa agir com violência, com truculência, pois não é isso que resolve uma situação que nos desconforta, em qualquer área de atividade. As críticas devem ser construtivas e os erros, se realmente existem, exemplificados, tipificados e apontados os seus responsáveis, pois, caso contrário, não levam a nada. O maior problema de nosso Internacional, olhando de fora, é a visão do clube sobre o objetivo fim, o futebol. A gestão atual precisa, ao meu modo de ver, se cercar de profissionais de gestão, de gente que conhece os meandros de gestão moderna de futebol e de negócios, pois somente isso poderá levar o clube a outro patamar e a um futuro melhor. Sinceramente, desconheço o planejamento estratégico de nosso Internacional, não sei se é feito ou como é feito. Seria leviano da minha parte opinar sobre o que desconheço.

  6. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    AOS AMIGOS DO BAC !!!

    Por que estou sendo discriminado, se não ofendi e nem falei nome feio que as crianças possam ler e entender ?

    Abs. Dorian Bueno, POA, 10.06.2017

    • Antônio Carlos Pauperio

      Dorian, como já coloquei várias vezes, não há discriminação no BAC e uma afirmação com a sua até ofende a gente que participa, pois seria admitir que há cesura à livre expressão. Fico triste lendo essa afirmação sua, pois me deixa muito constrangido. Se tu aceitares uma observação do amigo, pense se você está se restringindo ao objetivo do BAC, que é promover um diálogo franco e aberto sobre o nosso Internacional. As demais questões tem seus locais apropriados. Caso você tenha dúvidas sobre a integridade do que estou falando, por favor, entre em contato com a Coordenação (Melo) que, com certeza, lhe fornecerá todos s esclarecimentos que buscas. Eu não sei o que te dizer e se soubesse falaria sem rodeios, pois considero, vocês todos, como meus amigos.

      • Dorian Bueno
        Dorian Bueno

        Querido Pauperio!!!
        Fiquei chateado de ver que dois comentários meus do dia 9/6 ficaram manchados com aquela frase aguardando moderação em Inglês, e não foram liberados dentro do mesmo post deixando ele requentado.
        Copiei eles para a sua postagem do dia 10/6 para VC ver que não tinha nada de ofensas.
        Apenas num deles elogiei a AVALANCHE de GOLS do Grêmio contra a Chapecoense.
        Ontem o nosso Colorado contra o desfalcado Náutico teve uma AVALANCHE de GOLS perdidos, quando na verdade poderiam ter feito uns 10 GOLS.
        Vida que segue, mais uma vez vou escolher melhor antes de fazer postagens para não ficarem devassadas.
        Abs. Dorian Bueno

  7. Mauro Vozão
    Mauro Vozão

    OUTRO BOLO ABATUMADO

    … E ainda pertinente ao assunto poupança/alteração de jogadores, Pauperio, não quero deixar passar a oportunidade de me manifestar também sobre a recente modificação que o Guto quer introduzir no time. Refiro-me ao deslocamento do Edenilson para a lateral direita. Assunto que de pronto me leva a um comparativo com matéria que já anteriormente publiquei aqui mesmo.

    Quando disse que mesmo para cozinheiras de mão cheia, como minha mãe era, às vezes o preparo de um bolo dá CHABÚ!
    Sem dar tempo para o bolo crescer, de repente vai lá um Dorian da vida, babando na gravata de fome, abre a tampa do forno do fogão antes do tempo e … o bolo ABATE!

    Sim, mas e o QUÉQUI, na véspera de mais um jogo IMPORTANTE do INTER, perguntará algum marcha a lenta?
    Eu explico: É que desconfio de que o Guto já está querendo dar uma de Professor Pardal, tomara que eu me engane. Improvisando Edenilson na lateral esquerda, onde, bem ou mal, temos QUATRO laterais de carteirinha. Eu sei que ele também já jogou de lateral, com Tite, mas daí só em pensar pensar que Fabinho é o escolhido para RESOLVER ali no meio de campo, ajudar o D’Ale a LANÇAR para os nossos atacantes, … Logo ele que recém estava sendo DESCARTADO? Cadê a coerência? Só por perguntar! Claro que torço, aliás, mais REZO, para que dê certo!

    É que a massa vermelha, tô nessa, já está PRÁ LÁ de escaldada com tanto mexes-mexes no time nestes últimos anos, e nós dê-lhe tomar porrada na cacunda, não é verdade? Entra treinador, sai treinador, e o que nunca falta é MEXIDAS no time para ACHAR a escalação que o da hora pensa a mais adequada. E assim caminha a humanidade, digo nosso Inter… A passos de tartaruga e se vontade.
    E NO QUE me apoio para imputar-me tal ponto de interrogação? Em uma das MÁXIMAS do futebol, ora, a partir de uma formação escolhida, repeti-la, repeti-la e REPETI-LA, para ganhar CONSISTÊNCIA.d
    Mas, voltando, REZO para que ele acerte, vendo melhor no campo do que eu com minhas catarata, através do visor do forno do fogão!
    Agora, no fundo no fundo, querem saber o que eu realmente penso dessa ideia do Guto?
    Por enquanto espero para ver, enquanto só penso no bolo abatumado da imorredoura Dona Elvira Elisa.

    • Antônio Carlos Pauperio

      Mauro, tem carência que já são conhecidas há muito tempo e o clube fica esperando não sei o quê. Parece esperar que o problema se agrave para se mexer. Como tenho me posicionado em outros comentários, acredito ser muito cedo para tirar qualquer conclusão e continuo pensando que contratações de jogadores já veteranos de outros clubes e que estão em baixa há vários anos, não deveriam fazer parte do plantel.

    • Dorian R. Bueno
      Dorian R. Bueno

      Meu querido Vozão !!!

      Será que já esteve lá em casa alguma vez como um amigo fantasma e esfomiado?
      Cara como eu gosto de pizza de sardinha ABATUMADA.
      Detalhe importante, depois de fria e com mostarda.
      Gosto de BOLO rasinho com muita cobertura tipo uma NÊGA MALUQUINHA, com SONHOS DE VALSA.

      … Sem dar tempo para o bolo crescer, de repente vai lá um Dorian da vida, babando na gravata de fome, abre a tampa do forno do fogão antes do tempo e … o bolo ABATE!

      Tomara que hoje o time do Internacional amasse bem o time do Náutico, para todos matar a fome de VITÓRIAS convincente dentro do BEIRA-RIO ABATUMADO, epa, ATOLADO de COLORADOS.

      Abs. Dorian Bueno

      • Mauro Vozão
        Mauro Vozão

        ADOREI essa, Dorian, hehe! Beira Rio ABATUMADO de colorados, isto é, INCHADO! Muito bom! Abç!

        • Antônio Carlos Pauperio

          Mauro, desculpe, abatumado, no meu tempo era quando o bolo “solava”, não fermentava o suficiente ou abriam o forno antes da hora. Ouvia quando meus irmãos e eu ficávamos ansiosos esperando o bolo ficar pronto e minha grande amiga e saudosa mãe (agora no dia 15, véspera de meu aniversário, fará um ano que deixou esse plano) nos falava.

          • Mauro Vozão
            Mauro Vozão

            Justamente, meu querido Pauperio! Veja que até aí na reprodução ao Dorian eu mencionei …abre a tampa do forno do fogão antes do tempo e … o bolo ABATE, ou seja, MURCHA! DE BOLO eu entendo! Quem não entende DE BOLO é o Dorian, quando usa ATOLADO (CHEIO) como sinônimo de ABATUMADO.
            E quer saber? Com essa vitória de ontem, embora sofrida de novo, já estou deixando de ficar ABATUMADO de esperanças. Doravante o Inter SÓ VAI! ABÇ!

  8. Mauro Vozão
    Mauro Vozão

    A POUPANÇA

    Concordo com o que está posto, Pauperio. Penso também que este é um quesito importante em um planejamento de campanha anual para futebol. Sobretudo tendo em conta o biotipo de cada atleta, as funções que ele exerce dentro de campo e mais ainda sua IMPORTÂNCIA para o clube.
    E aí já vou direto ao ponto, especificamente voltando meus olhos para o nosso, onde O CARA chama-se D’Alessandro.
    Qualquer desportista minimamente esclarecido sabe que na meia cancha estão localizados pontos estratégicos para o sucesso em uma partida. Em TODOS os grandes clubes, os que conseguem os maiores sucessos, a atenção para este setor é AGUDA. E em TODOS eles, o meio de campo é composto por grandes jogadores.
    Faço uma pausa para relembrar o surrado ditado do velho Sérgio Moacir Torres Nunes, com seu famoso chavão: Quem tem DOIS tem UM e quem tem UM não tem NENHUM.
    Isto para chegar no ponto em que MAIS este ancião aqui tem batido, concernente ao Inter: Precisamos de mais um enganche, PRECISAMOS de MAIS UM ENGANCHE.
    Só D’Alessandro é POUCO.
    Por favor ajudem-me, não deixem esmorecer esta ideia!

  9. Prezado Paupério, muito bom o teu texto, abordando um assunto que às vezes tem dado muito o que falar, que é o caso de se poupar ou não jogadores. Tem muita gente que crítica essa postura, citando exemplos do passado, não se dando conta de que, hoje, a exigência física é muito maior! Incomparavelmente maior que em décadas anteriores! Já me referi aqui no blog ao que disse o Dirceu Lopes, craque do Cruzeiro, que no seu tempo o jogador corria em média de 4 a 6 quilômetros por jogo. E hoje a média é de 8 a 12 km. Ou seja, o dobro! Então, não tem como se comparar ao futebol de antes, onde se jogava nas quartas e domingos sem prejuízo nenhum ao preparo físico. Também já falei que a imprensa, principalmente aqui do sul, aproveitou para acentuar e propagar a expressão “rodízio” às formações alternativas de time usadas por Aguirre. Foi uma forma de detonar o emprego que estava dando certo, de sempre ter um time entrosado e bem preparado fisicamente na Libertadores. Hoje todo mundo faz isso, usando times mistos em competições de menor importância, para dar força máxima nas maiores e mais importantes. E não se fala mais em rodízio. Por isso nunca gostei dessa expressão, pois além do cunho pejorativo, era dirigida…tinha o endereço certo, tentar sempre desestabilizar o time colorado…
    Hoje, qualquer jogador, mesmo que esteja 100% em seu preparo físico, tem que ter um tempo necessário de recuperação, por isso não pode atuar em todos os jogos, sob pena de lesão! Isso é ponto pacífico em termos de preparação física!
    Parabéns pela postagem, Paupério!
    Abraços a todos do blog!

  10. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    Dorian R. Bueno
    09/06/2017 at 13:58
    Your comment is awaiting moderation.
    AVALANCHE TRICOLOR ENTERROU A CHAPE !!!

    Parabéns ao time do Grêmio, que ontem jogou o maravilhoso futebol que todos os torcedores desejam para os seus times.
    Vencer por 6×3 na casa da Chapecoense foi um tremendo terremoto, quem sabe uma baita de uma avalanche tricolor.
    Sou torcedor do Internacional, e fico aqui pensando, pensando…, será que o corajoso treinador Guto e os jogadores Colorados prestaram atenção na calma do Luan e do Everton para fazer GOLS?
    É isto que nós queremos dos nossos atacantes Pottker, Nico, Diego, Carlos, Cirino, etc., quando estiverem sozinhos na frente do goleiro adversário.
    Os caras treinam, treinam, treinam, e no dia do jogo tremem e erram como os piores jogadores amadores da várzea.
    A única que vez que eu perdi um GOL na cara do goleiro, levei um baita de um susto, por que estava sonhando e com certeza era tremendo pesadelo.
    Por favor, a bola chutada pelos os nossos atacantes COLORADOS, precisa entrar mais vezes dentro da goleira do Náutico amanhã.

    Abs. Dorian Bueno, Google + Plus, POA, 09.06.2017

    • Antônio Carlos Pauperio

      Dorian, felizmente não sou simpatizante de jogadores ou vejo jogos do adversário. O Internacional me basta, não perco tempo observando o que outros fazem ou deixam de fazer. Quanto a errar chutes a gol, já fui atleta e já errei muitas cestas, mas nem por isso era um jogador de má qualidade. Errar ou acertar faz parte de quem joga.

      • Dorian R. Bueno
        Dorian R. Bueno

        Amigo Antônio !!!

        Grato pela a tua atenção, é tão triste quando o nosso time não joga como os adversários.
        Eu gosto de FUTEBOL, e não vejo problema algum de assistir jogos de outros times ainda mais quando estão em outra categoria e jogando muito bem.
        Parabéns ao Grêmio do meu querido Paizão.
        Eu tbm já fu gandula do São José e no intervalo dos jogos ficava batendo FALTA sem goleiro para torcida ver quantas vezes eu guardava a BOLA lá na casa da coruja.
        Era uma glória ser aplaudido em quanto os jogadores estavam no intervalo.

        Abs. Dorian Bueno

        • Antônio Carlos Pauperio

          Dorian, houve um problema de comunicação, pois não me referi a ver outros jogos. Minha referência foi ao mau gosto do amigo em ver equipes que, sinceramente, não me dizem nada, pois não acrescentam nada. Pior coisa é assistir futebol de má qualidade. Como escrevi em meu comentário, no Sul do nosso País, o Internacional me basta, fora disso, no futebol só os grandes campeonatos europeus ou eliminatórias da copa do mundo ou outros esportes (vôlei, basquete, futebol de salão e tênis). Tem muita coisa bem melhor que assistir esses jogos do tradicional adversário, a não ser, como tu dizes, para acompanhar o seu estimado “paizão”, a quem, mesmo não o conhecendo, já o respeito muito.

  11. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    Dorian R. Bueno
    09/06/2017 at 17:21
    Your comment is awaiting moderation.
    QUAL SERÁ A SURPRESA DO TIME DO INTERNACIONAL !!!

    Quem sabe os jogadores levaram um choque de realidade durante a semana do Guto para começar a jogar a Série B como mais vontade.

    Será que o time desta vez com os titulares, estará mais entrosados e até mesmo o Ortiz, Carlos e o Pottker conseguirão fazer GOLS no Náutico?

    Nem mencionei o Nico, por que ele de DEZ chutes sempre acerta um com seu olhar 43 e consegue fazer o seu GOL.

    Futebol é uma arte tão simples e maravilhosa para ficar sendo jogado de forma afobada e errada.

    A dona redonda BOLA durante alguns minutos deseja apenas ser referenciada, e não sair triste de dentro do campo de tanto ser mal tratada.

    Por favor, senhores jogadores Colorados, nós torcedores queremos apenas que joguem um FUTEBOL com grande intensidade física e vitoriosa.

    Abs. Dorian Bueno, POA, 09.06.2017

    • Antônio Carlos Pauperio

      Dorian futebol não é tão simples assim. Quem dera que fosse. Tu tens ido aos jogos no Beira-Rio ou tens acompanhado os jogos somente na TV? Tem muitos comentaristas que pensam e falam como você, mas demonstram simpatia exagerada por outro clube, o que não é o teu caso.

      • Dorian R. Bueno
        Dorian R. Bueno

        Amigo Pauperio !!!

        Não gosto de ir ao estádio, por que os lances passam muito rápidos e não são repetidos na hora.
        Prefiro ficar em casa, ou até mesmo nem assistir os jogos.
        Gosto mais de assistir depois e ler tudo que falam por aí, e escrevo o que penso.
        Futebol é simples, basta treinar e colocar em prática com mais vontade o que aprendeu.

        Abs. Dorian Bueno

        • Antônio Carlos Pauperio

          Dporian, um jogo de futebol não se restringe só ao jogo em si, mas, sim, a companhia agradável dos amigos, de rever velhos amigos e companheiros, a possibilidade de conhecer outros Colorados, de se misturar com gente, de curtir as maneiras diferentes que cada um extravasa a sua alegria ou descontentamento, fora a cervejinha gelada. Morando em Salvador, sinto muita, mas muita falta, dos jogos no Beira-Rio.

          • Dorian Bueno
            Dorian Bueno

            Olá Amigo Pauperio!!!
            Futebol para mim é inspiração para escrever antes e depois dos jogos de forma diferente através da minha ótica.
            Quantos aos Amigos dentro do estádio são como Irmãos dentro da Igreja.
            Enquanto uns bebem muito para assistir 28 pernas correndo atrás da Bola, outros usam seus olhos, ouvidos, mãos para orar, louvar e abraçar outros Irmãos.
            É uma questão de aproveitar as oportunidades de convivência de acordo com vossas vontades, estando junto ou não de outras pessoas.
            Meu Amigo e Irmão Pauperio Eu Te Amo.
            Eu não bebo nada de álcool, apenas me embriago de palavras desta Fonta da Vida que é Deus, Amém. Abs. Dorian Bueno

          • Dorian Bueno
            Dorian Bueno

            Olá Amigo Pauperio!!!
            Futebol para mim é inspiração para escrever antes e depois dos jogos de forma diferente através da minha ótica.
            Quantos aos Amigos dentro do estádio são como Irmãos dentro da Igreja.
            Enquanto uns bebem muito para assistir 28 pernas correndo atrás da Bola, outros usam seus olhos, ouvidos, mãos para orar, louvar e abraçar outros Irmãos.
            É uma questão de aproveitar as oportunidades de convivência de acordo com vossas vontades, estando junto ou não de outras pessoas.
            Meu Amigo e Irmão Pauperio Eu Te Amo.
            Eu não bebo nada de álcool, apenas me embriago de palavras desta Fonte da Vida que é Deus, Amém. Abs. Dorian Bueno

            • Antônio Carlos Pauperio

              Dorian, respeito muito as tuas opções, como sempre respeitei a de todos. Feliz de quem consegue ser feliz, ao seu modo e como se completa. Também nutro uma admiração por você e respeito muito a tua forma de encarar a vida. A colocação sobre a ida a campos de futebol era somente para dizer que no Beira-Rio encontras gente que pensa igual e diferente de você, mas no fundo, todos são felizes a seu modo.

  12. Wolfgang Weittefooder
    Wolfgang Weittefooder

    Pauperio, parabéns, matou a pau!

    A ciência é parte fundamental hoje nos esportes em geral. Há aqueles que pensam que futebol ainda é como naqueles tempos de “amarrar cachorro com linguiça”, quando os espaços em campo permitiam que um Gérson pensasse muito tempo sobre o melhor passe ou lançamento, sem nenhum marcador a admoestá-lo. Hoje há pouco espaço e muito mais intensidade em campo. Enfim, este assunto é amplo, complexo, que tomaria algumas páginas de comentários e mesmo assim haveria polêmicas.

    Sempre falei aqui que, jogador como D’Alessandro não aguenta mais jogar todos os jogos e insistir nisso seria comprovada burrice, mesmo que alguns usem o salário para justificar que tenha que ser assim. Isso é uma falácia. Se colocarem ele em campo em todos os jogos vai estourar e ficar vários jogos sem jogar. É muito mais inteligente dosar a participação dele e tê-lo em forma nos jogos do que pagar caro pela ausência longa dele. Sobre ele ganhar muito, eu sou contra salários estratosféricos, mas ele não obrigou ninguém a pagá-lo e ao mesmo tempo, a história dele faz com que ele tenha mesmo um valor alto.

    O que sou contra é o rodízio pelo rodízio a la Aguirre. A preservação de jogadores de forma rotativa é fundamental para dar o equilíbrio necessário, sobretudo na Série B, onde se viaja maiores distâncias com muito mais frequência. O Inter vai ter que ir duas vezes a Recife, uma vez para Macéio, uma vez para Natal, uma vez para Belém, uma vez para Lucas do Rio Verde e uma vez a Fortaleza. Na Série A, normalmente se vai a Salvador e a Recife. Apesar das ótimas condições oferecidas pelo clube, isso é um pé no saco, cansativo. Meus últimos 10 anos trabalhando em uma multinacional viajava todos os meses para Estados Unidos, Venezuela, Chile, Equador, Argentina, Peru e Colômbia, ficava nos melhores hotéis, voava de classe executiva e comia nos melhores restaurantes e confesso, não aguentava mais tanto que demiti. Então, ficar longe da família, se manter focado o tempo todo, mesmo nas melhores condições, ganhando como eles, jogadores, ganham não eliminam o cansaço mental e físico, sobretudo o primeiro que influência muito no desempenho, porque muitas a alma se distancia do físico e é algo difícil de enxergar.

    Por último, Paupério, outra coisa que temos repetido no Inter, é não aproveitar a pré-temporada com todos os jogadores no elenco. Todos os anos começamos com buracos que vão sendo preenchidos ao longo do tempo. Isso deveria ocorrer somente para os ajustes finos identificados e não como o Inter tem feito, contratando lotes de jogadores depois da pré-temporada.

    • Antônio Carlos Pauperio

      Santos, realmente, também penso que o Internacional deveria dar mais importância para o período anterior e à pré temporada, pois acredito ser muito importante a definição do técnico, carências identificadas no plantel e um bom planejamento. Não posso deixar de salientar, tudo isso faz parte de um planejamento estratégico consistente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*