Série A, alívio ou preocupação 

 

Por Adriano García – El Mago

Foi como tinha que ser depois de tanto vacilo, de tanta angústia, tantas chances desperdiçadas. O acesso, desta forma, trouxe alegria, raiva, medo e alívio, esta foi a mistura de sentimentos proporcionada aos colorados. Só alívio, um alívio que não reflete a alegria que se esperava.

Missão cumprida

Marcelo Medeiros cumpriu a obrigação, deve ter tirado 10 toneladas das costas. Recebeu uma gestão falida, incompetente, jurássica. Salários em atraso, um grupo de jogadores anímicos e abalados. O escrete colorado foi finalista do Gauchão. Caiu dignamente na Copa do Brasil pelo saldo de gols contra o Palmeiras. A Série B era e sempre foi o objetivo maior, se não único de uma temporada que se desenhava duríssima desde janeiro. E de certa forma foi Laís dura para a torcida que assistia a tudo mas que mesmo em meio a protestos sempre esteve apoiando. Neste contexto, o objetivo foi alcançado. Com muitos trancos e barrancos, sem o brilhantismo do futebol; a meta foi atingida agora é tentar buscar o equilíbrio para 2018. É esse equilíbrio que deixa a torcida apreensiva quanto ao que vira pela frente. E a dúvida é se terá um time para brigar por títulos ou para não votar ao inferno? A serie B não é o fim do mundo, basta a equipe saber reestruturar para conquistar os títulos e dar a volta por cima. Agora o que atormenta é a preocupação com o que vira a seguir, a Série A.

A preocupação é, num certo sentido, um anseio do que pode dar errado e como lidar com isso. Há na preocupação, pelo menos para o cérebro límbico primitivo, alguma coisa de mágico. Como um amuleto que afasta um mal previsto, a preocupação ganha psicologicamente o crédito de prevenir o perigo com o que se está obcecado. O medo de voltar a sofrer tudo novamente preocupa assola ao imaginário do torcedor. O fato é que além da falta de futebol existe ainda a preocupação com o novo comandante na beira do campo. Nomes são especulados e o presidente já sabe que o alívio nem sempre é imediato pois terá de reformular a equipe novamente, porém agora é diferente pois já há uma base para se começar o que precisa é de um aperfeiçoamento ou até mesmo uma qualificação mais apurada. À verdade é que algumas carências são gritantes nos três setores da equipe principalmente na defesa. Não obstante a escolha do técnico deve ser efetuada com uma precisão de um bom cirurgião. Para que o resgate do bom futebol venha a ser encontrado.

Já o Brasileiro da serie A tem o verdadeiro campeão de fato e de direito mesmo que o Corinthians tenha tido uma queda de rendimento foi o time que sobrou na competição. É preciso salientar a reestruturação e equilíbrio encontrados nestes 27 anos conquistou 7 títulos brasileiros, quatro deles por pontos corridos, e um ano esteve na serie B.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Adriano Garcia

Adriano Garcia

One comment

  1. Alô você Adriano!
    É, missão cumprida. De fato MM deve ter tirado um peso enorme. Agora para 2018, o primeiro passo não são contratações (que já estamos vendo: não gostei). O início deveria ser a reestruturação do Departamento de Futebol. Precisamos de alguém que conheça cheiro de éter para ajudar ao treineiro e até ter argumentos para contrapor. Não começar por aí, é mais um equívoco.
    Coloradamente,
    Melo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*