UM NEGÓCIO CHAMADO FUTEBOL

POIS MEUS CAROS IRMÃOS DE ALEGRIA, aí vem 2018, e com ele, algumas incertezas ou até algumas certezas de uns que não são exatamente o pensamento de grande parte dos torcedores, no mínimo, creio eu, se não vejamos:

Plantel 

Cerca de 30 jogadores estão voltando de empréstimos, alguns que foram recebidos no Beira-rio com enorme expectativa  quando de suas contratações, não confirmaram  conforme alguns ou confirmaram a ineficiência de acordo com o pensamento de outros. Anderson , Seijas e Paulão são alguns deles. Salários “pesados” sem o rendimento esperado, ou amaldiçoado, no caso do último,  suas colocações no mercado é muito difícil. Imagino que se alguma equipe ainda quiser apostar em seus aproveitamentos, certamente esbarrará na impossibilidade de inchar suas folhas em virtude dos altíssimos salários. Segundo se anuncia o Inter não estaria disposto a  arcar com 50% dos salários em caso de empréstimo, estratégia muito utilizada para viabilizar as negociações. Como solucionar?

Do time de cima atual os mais  próximos de rumar para o aeroporto Salgado Filho com viajem de retorno marcada são Gutierrez e Carlinhos ambos por salários altos e rendimento muito abaixo da expectativa. Se desfazer desses cinco teríamos uma economia de um milhão e quinhentos mil? Creio que sim.

Por outro lado temos alguns retornos que ainda encontram defensores de seus aproveitamentos para nível de plantel, e aí cito dentre todos dois, que mesmo com um baixo percentual de expectativa podem ser aproveitados ou até negociados com custo cabível em orçamento de clubes de médio porte, me refiro a Andrigo e Aylon. O primeiro com razoável aproveitamento no Atético Goianiense e o segundo mesmo com um bom potencial não encaixou no Goias e acabou o ano na reserva. Não me ocorre nenhum outro capaz de produzir a entrada de cifrões aos cofres Colorados, com razoável retorno.

Valdívia

Esse é um caso a parte!  Preferiu ir embora quando era hora de mostrar gana, superação e poder de enfrentamento. Não creio que sua capacidade técnica e até intelectual seja de valia para o INTER embora saiba que existem defensores de seu retorno. No Galo não se firmou e no meu entender é tão somente um jogador médio muito perecido a tantos outros existentes e diante da mínima sinalização de interesse externo (se houver), pode ser negociado sem prejuízo técnico e até com algum retorno. Esse aproveitamento muito dificilmente virá do exterior, caso venha é imperativo que se faça negócio.

TENHO DITO!

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Paulo Melo

27 comments

  1. Nelson Tchê
    Nelson Tchê

    Mello,
    Quanto ao plantel não há dúvidas que é necessário mudança na forma de administrar. Precisamos mudar a configuração do elenco, parar de trazer jogadores de médios pra baixo pra “compor” grupo. Essa composição deve ser buscada na base. De fora precisamos trazer jogadores de ponta, compatíveis com a grandeza do Internacional. Ou será que não somos do tamanho de outros clubes que rapidamente trazem grandes jogadores. Pelo menos um lateral, um zagueiro e um ou dois meias , sendo um de primeira grandeza, no nível de Tiago Neves, Everton Ribeiro.
    Quanto aos emprestados, estava vendo a lista , dos quais alguns com mais um carimbo de rebaixamento no currículo, são eles: Anderson, Andrigo, Eduardo, Artur, Geferson, Bob, Alan Costa, Anselmo, Marquinhos, Eduardo Henrique (aquela expulsão no jogo contra o Santa Cruz no Beira Rio custou caro pra gente) , Ferrareis, Paulão, Seijas, Aylon, Valdívia e Brenner. Na minha avaliação, deveríamos aproveitar, ou tentar pelo menos com Brenner, Andrigo e Valdívia, talvez o Aylon também, se não der certo, acho que são jogadores de mercado mais pra frente. Os outros tenar recolocar ou de uma forma ou de outra, mas sair de nossa folha.
    Saudações Coloradas

    • Alô você Nelson!
      Gostei da tua lista. Eu também apostaria no Brenner. Acho que dali sai caldo.
      Coloradamente,
      Melo

  2. Luciano

    Muito bem observado José. A normalidade em que é encarado o nosso declínio técnico e a demora para reação por parte dos dirigentes é de assustar. E não adianta ficar esperando mudanças substanciais no Departamento de Futebol pois elas não vão ocorrer. O seu paralelo de comparação com a Chapecoense é mais do que pertinente. Tem que ter é vergonha na cara e trabalhar forte para ser competitivo, agregando muito mais qualidade do que se tem hoje. Com ou sem planejamento estratégico, que é muito bom no discurso de alguns dirigentes, mas que na prática nem sempre se comprova. O mais importante é trabalhar sério e mostrar indignação com o fracasso, coisa que hoje as pessoas que estão no Clube não se importam tanto.

  3. Pessoal, tiro o chapéu para a performance da Chapecoense! Vitima da tragédia, o clube começou 2017 sem jogador, sem plantel, sem nada. Saiu a campo para arregimentar atletas para formar um time. Pois aí, mantendo sempre sua ideia e formatação de jogar futebol, acabou o campeonato classificado para a Libertadores de 2018. Que façanha! Digna de registro!
    Enquanto isso, nosso Inter, clube grande, há dois anos não consegue jogar absolutamente nada! E pior, se conforma em perder, pois não tem ambição de nada. Não conseguiu vencer o Noia. E quando os times da série A abandonaram a Primeira Liga, o Inter não teve vontade de pelo menos disputar o título. Se absteve do titulo, da disputa, de tudo! E também não fez o dever de casa que seria vencer a Segundona. E a direção e o departamento de futebol acham tudo isso normal. Que apequenamento! Ou reage este ano que vem, ou vamos mergulhar num mar de sofrimento novamente!
    Abraços a todos os parças do blog!

  4. Pessoal, eu não lamento a queda do Coritiba para a segunda divisão.
    Isso porque o ano passado eu vi pela tv o jogo em que o Coxa garantiu a permanência do Vitória na série A, prejudicando o Inter. Naquele dia o Coritiba não fez esforço nenhum, perdeu em casa na maior tranquilidade, aceitando o placar e não mostrando, vontade, raça e disposição de pelo menos jogar. Pois agora, ironicamente, foi rebaixado, no último minuto, no lugar do Vitória!
    Deus não joga mas fiscaliza, diria Nenêm Prancha!

  5. Luciano

    Bah, além de tudo que nos rodeia, aguentar as especulações de contratuais pontuais de destaques da série B, retorno dos emprestados que os outros não querem mais ou não podem pagar (graças aos excelentes contratos da gestão anterior) e esse tipo de notícia do Gutierrez (agora da gestão atual) me tiram o sono e o equilíbrio. Caíco então? Auxiliar do auxiliar…Oremos…

  6. Inter tentando prorrogar o empréstimo de Gutiérrez.
    Meu Deus!
    Chamem a Cavalaria!

  7. Leandro Godoy
    Leandro Godoy

    ALÔ . Não gostei da indicação do Caíco para Aux da CT do Odair. Penso que Caíco, viveu num outro momento no futebol. Hoje, o comportamento é outro, a maneira de jogar é outra, imagino que o Caíco para o atual momento do INTER, não seja a escolha certa. Parece que existe algo misterioso no INTER, quando se cogita um nome e as chances de dar certo são grandes, aí que a coisa desnanda. Porque não o TINGA.

    • Alô você Leandro Godoy!
      Não vejo problema no Caíco ser o Auxiliar é só auxiliar (subordinado ao treinador). Agora para o Cargo de GERENTE (que seria em tese o chefe do Odair) aí sim concordo. Esse cargo está em aberto. TINGA E CLAUDIÃO são as minhas sugestões.
      Coloradamente,
      Melo

  8. Alô voce Antonio Carlo Brigoni Marques Brigonii ! Temos que acreditar no profissionalismos das pessoas. O Sérgio Moacir Torres, cria do Grêmio foi o treinador do Inter que interrmpu a sequencia de campeonatos do co-irmão em 1961. tITE, O MELHOR TREINADOR QUE PASSOU NO iNTER NOS ÚLTIMOS TEMPOS, CAMPEÃO DA sULAMERICANA, é identificado com “eles”.Tinga, sabidamente Colorado atuou com destaque e foi multicampeão no GPFA. Então mesmo que o Claudião fosse do outro lado (NÃO É), NÃO TERIA NENHUM PROBLEMA.
    COLORADAMENTE,
    MELO

  9. Naladar Santos
    Naladar Santos

    Melo, por isso é necessário alterar tudo na gestão do futebol. Se fosse na empresa do Piffero e do Pellegrini tenho certeza não teria este excesso de maus funcionários e com salários altos.

    Não vejo muita saída a não ser emprestar e subsidiar parte dos salários. Com os salários atuais vamos mantê-los lá no Beira Rio e isto se constitui naquele risco de, ao se manter uma naba, uma hora ele joga. Tem sido assim no Inter. Fazer as coisas do mesmo jeito e esperar resultado diferente.

    Para mim ninguém é aproveitável. Vi jogos do Atlético Go e não vi nada no Andrigo. A mesma bolinha de sempre. Aylon era reserva no Goiás. Eu achava que Eduardo, o zagueiro, precisa de mais chances no Beira Rio, mas o Atlético Go não o quer mais e a torcida deles não o quer ver nem pintado, logo….

    Seijas poderia render alguma coisa se for vendido de volta para a Colombia. O problema é que os Venezuelanos, quando vêm para o Brasil, não querem mais sair do País. Voltar ao país deles, tão amado por alguns políticos brasileiros, nem pensar.

    Valdivia é nossa moeda de troca. Ele tem mercado no Brasil e o Inter precisa ser inteligente para fazer um bom negócio.

    Enquanto isso, o Palmeiras trouxe o bom lateral esquerdo Diogo Barbosa do Cruzeiro e Lucas Lima do Santos. Como vamos competir?

    • Alô você Naladar!
      A palavra de ordem é administrar. Os experts diriam que é “sinuca de bico”. pois com salários altos ninguém quer pagar, o INTER quer implantar a política de que uma uma vez emprestado, não haja ônus para o clube, por isso tem que ser administrado. Quanto a empresa do VP, não aposte que tivesse salários altos com gente incompetente se beneficiando. Tanto é que QUEBROU. Aliás eu queria perguntar pra um a um de seus eleitores: Como esperavam que tivesse sucesso numa EMPRESA DO TAMANHO DO INTER um cidadão que não soube administra a sua e quebrou? Como pode ter se recusado a apresentar as negativas municipais, estaduais e federais, propostas pelo
      Coloradamente,
      Melo

  10. ue

    Ilustre PRM: é uma tarefa muito árdua, a de avaliar e colocar no mercado contingente tão expressivo. Quem dera a qualidade fosse o balizador. Sabemos que não. Tarefa maior será colocar novamente pedra sobre pedra, enquanto levantamos os olhos para o horizonte e já vemos obstáculos maiores consolidados em trabalhos diligentes com frutos edificantes. Não ´podemos realmente somente olhar para baixo. O retrospecto revela rupturas estruturais com teias de aranha. O futuro não é promissor. Muito menos a curto prazo. Não nos enganemos. Voltamos a padecer no paraíso. Abraço.

    • Alô você Jaldemir!
      É exatamente aí que reside o obstáculo a ser transposto. Planejamento minucioso, firmeza de atitudes, correções necessárias, austeridade, inabalável crença. Estabelecer objetivos bem definidos e priorizá-los. E tudo para longo, médio e curto prazo. É tabalho amigo, trabalho e mais trabalho. Se tiver disposição consegue.
      Coloradamente,
      Melo

  11. Pois é ,Paulo,estou vendo a direção do Inter cometer as mesmas falhas anteriores. Gastando muito com jogadores medianos para não dizer coisa pior . Nós precisamos de um “Fernando Miranda” novamente noa direção,para colocar as coisas (contas)no lugar e preparar o time para conquistas maiores. Um abraço.

    • Alô você Junara!
      Quem sabe não está aí a solução? Não precisamente o FM, mas pode ser alguém com o seu perfil. Taí uma ideia que me agrada.
      Coloradamente,
      Melo

  12. Bom, pessoal, eu acho que desses trinta que retornam nenhum deve ser aproveitado. Se ano passado não deram respostas, não será agora que vão dar.
    E do atual plantel, concordo com o Brigoni, sem Sasha, Ortiz, Winck, Carlinhos, Ernando, Roberson. E ainda acrescento o Carlos.
    Meus amigos de blog, hoje eu estava olhando a classificação do brasileirão 2017 e fiquei estarrecido. Vejam só, a Chapecoense em 9º lugar, à frente de Atlético Mineiro, São Paulo e Flu. Mesmo que na última rodada perca e seja ultrapassada por algum desses, é um feito memorável. Time que há um ano atrás perdeu todos os seus atletas na tragédia. E este ano teve que refazer todo o plantel, além do time.
    Pois bem, agora imaginem então o tamanho que foi a tragédia da gestão Pífero, que pegou um time classificado para a Libertadores, e no final do seu malfadado mandato, além de entregar o clube na segunda divisão, ainda o deixou endividado, com salários e direitos de imagem atrasados, verbas da tv antecipadas, empréstimos contraídos… Enfim, foi o escambau!
    Essa é a real situação: vai demorar algum tempo até o clube se ressarcir de tamanho prejuízo!
    Abraços a todos os parças do blog!

    • Alô você José!
      Perfeito. Direto, nú e crú o Sr VP pegou o INTER classificado para uma Libertadores e um time e entidade respeitada no Brasil e no mundo e devolveu o time em uma segunda divisão, e o clube sem credibilidade , com o nome maculado. QUE NUNCA MAIS POSTULEM A NADA POR LÁ.
      Coloradamente,
      Melo

    • Alô você Brigoni!
      Pelo fato de não preferir um que está sendo cogitado não determina que quero continuidade do que lá está. Eu quero é alguém que entenda de vestiário, que conheça na intimidade a vida, o procedimento, as mãnhas dos boleiros. Quero um cara que se antecipe a problemas por conhecer o nascedouro. É isso. Minhas preferências são por Tinga, Claudio Duarte e até PC Carpegianni, mas que entrem com cláusula contratual de em hipótese alguma assumirem o cargo de treinador.Coloradamente,
      Melo

    • No futebol as opiniões divergem.Carpegiani como técnico. Cláudio gremistão e Tinha queria ser presidente.Que quer ser coordenador é o Muricy.

    • Alô você Antonio Cavalheiro!
      Olha, MEU AMIGO, todos é até um certo exagero mas que se dependesse de mim uns 70% de todo o elenco iria arrumar as malas e seguir em direção ao aeroporto, isso sim.
      Coloradamente,
      Melo

    • Bah, meu amigo, no meu time ideal, por exemplo, não jogaria um atleta que apanha na cara, logo num grenal, e chora. Precisamos de atitude. Da tura 2016, só o Danilo. Ou recuperamos a grandeza, imediatamente, ou teremos os times do Asmuz. Abç.

      • Alô você Cavalheiro!
        É aí que entra o dirigente conhecedor de futebol que falo. Nese momento agiria como meu pai que certa vez me disse: “se apanhares na rua, apanhas em casa novamente”. Mas e quem é o dirigente que conhece bastidores para tocar essa barca? Só um ex jogador que esteja preparado. Tinga e ou Claudio Duarte, SIM.
        COLORADAMENTE,
        MELO

  13. Alô você Brigoni!
    A ideia do Guerrinha não me parece má, entretanto seria mais uma aposta, teste, e depois, é no minimo discutível o real conhecimento do GRANDE GUERRA, com quem tenho um bom relacionamento pessoal, sobre vestiário e as “coisas” que o circundam. Ele conhece cheiro de éter? Coloradamente,
    Melo

  14. Dos que retornam nenhum ficará. Dos que estão tem que se desfazer de SACHA ORTIZ WINCK CARLINHOS ERNANDO ROBERSON.Em um primeiro momento.Li que Guerrimha vai comandar o vestiário: Confio.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*