PARA DISCUSSÃO

Esse texto era para ser um comentário na excelente postagem da Simone Kuiava sobre o jogo Luverdense 2 x 2 Internacional, pois ela retrata o pensamento de qualquer um Colorado após o jogo de ontem. Se colocasse como um comentário, ficaria muito intenso e “atravessaria”, assumindo respostas de quem fez a postagem. Vou iniciar minhas considerações depois de ter lido os comentários feitos em sua postagem. Alguém poderá indagar por quê fazer um texto novo e logo me adianto e coloco as razões. O momento é crítico, de reflexão e responsabilidade, e todos devem evitar que os “oportunistas de plantão” se aproveitem das dificuldades para criar mais confusão.

Em um comentário, alguém cita uma possível intenção do blog de “colocar panos quentes” ou “passar a mão na cabeça”, entretanto isso não espelha a verdade, pois não considera que nesse espaço cada um é livre para externar o que pensa, independente de ser o pensamento da maioria. Sim, ontem, mais uma vez o time Colorado jogou muito mal, mas houve empenho redobrado de alguns em busca do resultado. Mesmo que muitos não acreditem, não tenho a mínima intenção de defender a presidência do clube, o Guto Ferreira ou os jogadores, pois acredito que eles não precisam disso, mas me posiciono no sentido de que seja feita uma discussão aberta, uma análise construtiva e que as conclusões sejam justas.  

Com a lesão do Klaus (que vinha jogando muito bem e era uma segurança na marcação e nas bolas altas, tanto na defesa, como no ataque), depois com o afastamento também por lesão de Danilo Silva (que não vinha jogando bem), infelizmente houve a lesão e ausência de última hora do Cuesta, sendo necessária a entrada do Thales. Até aí, tudo bem, tudo feito de acordo com os jogadores disponíveis no plantel. É inegável que Winck (presença no time titular que era solicitada por muitos) e Uendel não vem jogando bem há vários jogos. Ortiz se estava na reserva, alguma razão justifica isso. Essa formação colocada em campo “fez água”, como só poderia ser e, para mim, não causou surpresa. Dourado ficou perdido em campo, correndo de um lado a outro, sem conseguir chegar a tempo na marcação, pois a fragilidade dos quatro de trás era impressionante. Para tentar melhorar o sistema defensivo o treinador teve que mudar o sistema tático (alguns afirmaram que não fez) colocando o Edenilson mais recuado, junto ao Dourado, deixando de lado o esquema 4 x 1 x 4 x 1 e passando a atuar com 4 x 2 x 3 x 1.

D´Alessandro, ontem fez a sua melhor partida pelo Internacional. Correu como menino, marcou, passou, lançou, chutou a gol reclamou dos companheiros e foi simplesmente brilhante. Não há como negar os esforços em busca do resultado do Dourado, do Edenilson, do Pottker e do Damião. O contestado Sasha mais uma vez não jogou nada, mas continua como titular, porque alguns defendem que tem valor tático, mas penso o contrário, joga para cobrir Uendel que não sabe marcar. A grande diferença existentes entre os atacantes de outros clubes é que todos jogam, não desperdiçam oportunidades e aproveitam as chances de gol, já os do Internacional não conseguem finalizar com sucesso (nesse jogo contra o Luverdense até houve algumas chances e as finalizações tinham o destino certo, mas o goleiro do Luverdense esteve bem).

Vendo de fora, as substituições do treinador Colorado são fáceis de entender, pois a entrada do Nico López era para substituir o Damião, que já não aguentava mais em campo e sentia dor na virilha. O que pode ser questionado, na minha opinião, foi a demora em substituir o Sasha (que não deveria nem ter entrado como titular) pelo Camilo e colocar em campo o Roberson (não tinha o Carlos no banco ausente pelo 3º cartão amarelo) no lugar do D´Alessandro (exausto), mas acredito que não havia alguém disponível no banco que jogasse mais agudo para entrar.

Na minha opinião, o resultado pode ser considerado normal, não bom, mas normal. Essa situação, agora crítica, é somente o reflexo ou consequência das últimas apresentações no Beira-Rio, onde não houve o empenho necessário ou até “corpo mole” e o Internacional perdeu 5 dos 6 pontos disputados. Os últimos desempenhos do time Colorado no Beira-Rio deixaram muito a desejar e a insegurança atual da torcida é natural.

O jogo de ontem me fez recordar um comentário de um dos blogueiros do BAC que postou que aqueles jogadores que não possuem as condições necessárias para entrar no time titular, não deveriam nem estar disponíveis no banco, pois em cartas oportunidades “já que não tem quem o time precisa, vai tu mesmo”. Se o Internacional se classificar (acredito que é o mais provável) e conseguir o título da Série B, deverá se preocupar com o plantel de 2018, pois, sinceramente, não temos um time titular qualificado e reservas que possam entrar, quando necessário, sem grandes prejuízos.

Agora é torcer mais ainda e fechar os ouvidos para “essa gente” que quer desestabilizar o Internacional na reta final, pois, sinceramente, não vejo nenhum sentido positivo na enquete promovida na rede de TV que transmitiu o jogo contra o Luverdense e tampouco nessa discussão agora sobre a permanência ou não do treinador Guto Ferreira. Não sei a coerência ou interesse agora essas comparações com a Série A, quando estamos na Série B e o acesso é meta. Fico com a impressão que a intenção do Internacional de ser campeão da Série B incomoda muito alguns que se dizem “imparciais”. É importante que a torcida fique atenta, não deixe de acreditar, continue apoiando, mesmo criticando quando necessário, mas procure enxergar a quem interessa essas manobras que conseguem potencializar o descontentamento com o time Colorado, criando maiores dificuldades nessa reta final para o que já está difícil.

Quanto ao mais alto mandatário do Internacional se pronunciar ou não, sinceramente penso que tem horas que é melhor ficar calado e não potencializar polêmicas, que visam somente prejudicar o clube nesse momento. É um estilo de gestão que gosto, mais de trabalho, feito nos bastidores, sem jogo mediático e sem interesse em promoção pessoal.  Acredito que, nesse momento, seria interessante que alguém desse um esclarecimento sobre essa suspeita levantada por alguns da influência de prêmio no desempenho de atletas, que compromete a integridade dos jogadores e que acredito seja obra de oportunistas e “pregadores do caos”. Temos visto portadores de mensagens, tanto no lado da direção, como no lado dos atletas, pois cabe a eles um simples esclarecimento, se há ou não um prêmio acertado para o acesso ou para o acesso e à conquista do título. Não precisam dizer o valor, simplesmente se há ou não e quando foi definido.

Para encerrar uma opinião pessoal. Não vi em 2017 o Internacional que gostaria de ver. Mesmo quando houve aquela sequência de vitórias o time apresentava carências visíveis e que eram pontos fracos pouco explorados pelos adversários, via como se tudo estivesse certo e não fossem preciso correções. Nesse momento, coerentemente,  não vejo como se tudo esteja errado e que não tenha solução para a reta final. Nesse momento, cabe ao treinador Colorado colocar em campo os melhores jogadores e definir um esquema tático mais adequado às característica dos jogos. Aos jogadores cabe, no menor espaço de tempo, voltar a jogar com um maior empenho e recuperar seus melhores desempenhos, de forma a dar à torcida Colorada a alegra que ela merece,.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Antônio Carlos Pauperio

Antônio Carlos Pauperio
Sou apenas mais um dos simples torcedores do nosso INTERNACIONAL. Atualmente resido em Salvador, na Bahia, mas mesmo distante continuo sempre acompanhando e torcendo pelo sucesso de nosso Colorado e pela alegria da nossa torcida. Para acompanhar o que escrevo, fora do nosso blog, acesse o endereço http://discutindoavidanormal.blogspot.com

16 comments

  1. Alô você Pauperio!
    Muito oportuno teu post. Confesso que por vezes acho que tenho a solução para logo ali duvidar de minha própria tese. Por exemplo: também começo a questionar o momento do Sasha ,reconhecendo, entretanto que ele foi mais COLORADO do que o Valdívia por exemplo que pulou da Barca. Ainda hoje ouvi um reporter de rádio afirmar que ele teria dito no tal “em off” que não gostaria de jogar mais no INTER, mas isso é outra história. Voltando ao desempenho do Sasha acho que está aquém do que efetivamente pode, entretanto o seu substituto, CAMILO, excetuando-se aquele magnífico lançamento para o gol do Carlos não apresentou credenciais para titularidade inconteste. Pesando os prós e os contra fico com uma das “máximas” do Murici Ramalho: “o Time não deu liga”. Nesse caso específico diria que os valores da titularidade, em sua maioria, jogariam em times da série “A” contudo o desempenho conjunto não vem e o ano está encerrando. Não aprecio as soluções simplistas, mas as vezes , sim.
    COLORADAMENTE,
    Melo

    • Antônio Carlos Pauperio

      Melo, alguém colocou nos últimos dias um comentário sobre acreditar e confesso, tem horas que acredito por ser muito Colorado, caso contrário… Qualquer jogador, Camilo não é exceção, precisa de um tempo para mostrar seu futebol e o Guto Ferreira só faz substituições depois dos 20 minutos do 2º tempo. As exceções únicas são para lesões. Imagine o jogo “a mil” e você entra frio, até “embalar” leva um tempo, aí o jogo já está terminando. Penso que seria melhor fazer modificações no intervalo do jogo, pois daria maior tempo para orientar o jogador que vai entrar e seus companheiros, mas não sou treinador. No caso do Sasha, acredito que não deveria ser titular, pois não está jogando para merecer isso. Valdívia, poderia ser útil, mas considero “carta fora do baralho” e acredito que dificilmente seria aceito novamente pela torcida. Tem certas atitudes que são imperdoáveis, principalmente no grupo de jogadores.

  2. Paupério!! Quando enaltecemos um EMPATE mesmo que seja lá contra um luverdense da vida, é por que a coisa ta mal, essa de que o futebol é nivelado por baixo e que alguns jogadores se “mataram” correndo, contra lverdense, ABCs, criciumas da vida, não tem como pensar algo diferente que não seja o ano de 2018, uma luta pra não cair de novo. SE TEM ALGO DE ERRADO POR TRAS DE TUDO ISSO, JAMAIS SABEREMOS.

  3. Fabiano Mello

    Pauperio, tá duro de assistir nosso Internacional, as insistências dos treinadores, jogadores que não tem atitude e empenho, dirigentes despreparados ou amoitados, é brabo!! Não é de agora, desde 2010 (um pouco antes inclusive), o Inter no todo (dirigentes, comissão técnica e torcida), vem trilhando uma caminho de amadorismo e de atitudes incompatíveis com a grandeza do clube. Espero sinceramente que saiamos dessas (e desses) o quanto antes, tá brabo assistir tudo isso como telespectador e ver esse show de horror que fazem com o clube. Vamos subir, sim, mas tomara que acordem ou entreguem os tacos se não sabem como melhorar para quem tem boas e novas ideias, não somos um clube pra ficar brigando por vaga na série A.

    • Antônio Carlos Pauperio

      Fabiano, exatamente isso, essa situação é as consequências de alta de visão e da permanência de vícios dos últimos anos, onde a mediocridade e a falta de protagonismo foram amplamente aceitas e continuadas. Sinceramente, não me conformo, com a perda da altivez do Internacional e de ver esse sofrimento interminável de nossa torcida. Temos que mudar isso.

  4. Eu acho e tenho certeza que ontem o Inter escapou de ter manchado sua história, coisa que o Grêmio teve com Anapolina nos 4×0
    O Luverdense fez 1 com 1 minuto e até os 15 minutos perdeu outros 2
    No segundo tempo foi pior ainda, fez o segundo gol e depois foi um horror.
    O medo e o pavor dos jogadores da zaga ontem foi impressionante
    As vezes tinham 5 do Inter contra 2 do Luverdense e não conseguiam cortar
    Jogadores assim, todos crescidos e passado dos 22 anos não podem jogar no Inter

    • Antônio Carlos Pauperio

      L Fernando, concordo plenamente contigo. A fragilidade dos jogadores de defesa ficou evidente nesse último jogo e que contratações/dispensas precisam ser efetuadas o mais rápido possível. Não consigo entender como profissionais, bem pagos e que possuem todas as melhores condições para desempenhar seus trabalhos, possam apresentar um futebol de tão baixo nível.

  5. Pauperio, boa noite.

    A imprensa azul sempre tenta desestabilizar o Inter, sempre as coisa tem mais peso para o lado de cá.

    Mas que é o grande responsável por tudo isso, é o próprio Inter, pois se não fizesse esses fiascos, se não perdessem pontos para times que que estão brigando para não cair para a série C, esses aproveitadores não falariam nada, mas não somos hoje disparado o futebol mais vergonhoso do Brasil.
    Pois com todos os recursos, e em comparações com as outras equipes, não conseguimos jogar nada parecido com futebol.

    As desculpas sempre se repetem.

    Tomara subir e acabar esse inferno.

    Desculpe o desabafo mas é uma vergonha.

    Antes que digam que sou corneteiro, estarei no Beira Rio apoiando, pois quero subir.

    Mas que está difícil aguentar assistir jogo do Inter, ah está.

    • Antônio Carlos Pauperio

      Jairo, você é autêntico e Colorado. Sente o mesmo que todos nós Colorados estamos sentindo, mas entenda o que vou afirmar. Hoje, o que mais pesa na mídia gaúcha e nacional, é a possibilidade do Internacional conseguir o acesso à Série A e ser o campeão. Não pense que esqueceram que já se safaram da queda à 2ª Divisão, na primeira vez, pelo “canetaço” e que o seu acesso na outra vez foi o resultado do jogo mais vergonhoso do futebol brasileiro. Fora isso, são os posicionamentos públicos de pessoas que se dizem Colorados e só sabem atormentar a torcida com inverdades e suspeitas forjadas.

  6. Dorian R. Bueno
    Dorian R. Bueno

    O TIME DO INTERNACIONAL ESTÁ JOGANDO NO PADRÃO DA SÉRIE B TCHÊ!!!

    É tão triste ouvir e ler o que falam por ai nas rádios e redes sociais, porque falam do Sport Clube Internacional que caiu por falta da capacidade dos seus ex-dirigentes, treinadores e dos jogadores de 2016, mas parece que tudo está igual.

    Para mim que sou um desconhecido escritor Colorado, está sendo um baita de um aprendizado cultural e divertido, já que por baixo devo ter escrito mais de 120 crônicas somente sobre o nosso desempenho dentro desta inédita Série B, antes, durante e depois dos jogos.

    Desde o início sabíamos que não tínhamos um time com credibilidade para vencer ao natural esta Série B, e agora que está chegando ao final da competição, mesmo sendo líder ainda estamos todos apavorados com os resultados dentro do campo.

    Realmente o treinador disciplinado não entra em campo para tentar fazer as jogadas e principalmente os Gols que os seus jogadores erram bisonhamente e demasiadamente durante a partida, mas poderia ser mais arrojado e criativo.

    Tenho até pena do Guto, ele tem sido fiel aos jogadores, mas sabe que eles possuem capacidade para fazer bem mais, só que está batendo o horror na hora que precisam definir com mais atenção os lances pontuais que surgem.

    O elenco sempre foi muito fraco mesmo recheado com alguns jogadores com mais inteligência técnica e tática, mas ele precisava também escalar outros menos capacitados para tentar fazer um time aos trancos e barrancos, e deste jeito tentar chegar ao final dentro do G4 e se classificar para a Série A.

    Amigos Colorados falta pouco, mas até lá haja coração para suportar empates como o de ontem contra o Luverdense, quando na verdade poderíamos até ter tomado uma goleada que não seria tão injusto.

    Abs. Dorian Bueno – Google+Plus, POA – 07.11.2017

    • Antônio Carlos Pauperio

      Dorian, respeito a sua opinião, mas não concordo com ela. Por gostar de futebol tenho acompanhado jogos da Série A e B e, sinceramente, com raras exceções, não vejo a diferença propalada entre os times das duas séries. Tem jogos excelentes, bons, médios e ruins nas duas. Para alguém mais atento podemos ver que existe uma trabalho de desconstrução do Internacional, desmerecendo a direção, treinador e jogadores. Só não enxerga quem não quer. Não sou fanático, sou realista. O Internacional é a “cereja do bolo”, o time a ser batido e todos os adversários são supervalorizados, pois isso atende interesses. A má vontade é evidente nas arbitragens e na mídia nacional. Para a frustração de todos, o Internacional vai à Série A e vai ser campeão de 2017. Essa gente “imparcial” podem começar arrumar outros argumentos para 2018… Já no próximo jogo, no Beira-Rio, como pregava em postagens e comentários anteriores, poderemos festejar a classificação antecipada.

      • Dorian R. Bueno
        Dorian R. Bueno

        Amigo Pauperio, eu também respeito a tua opinião, mas…

        Em 03/10 eu escrevi a seguinte crônica:

        EXTRA, EXTRA, EXTRA, ALÔ SÉRIE A, DAQUI UNS DIAS O COLORADO INTERNACIONAL ESTARÁ VOLTANDO PARA ALEGRIA DE TODOS…

        Colorados, quando um clube do tamanho do Internacional está com vontade de competir e mostrar a sua capacidade dentro dos bastidores e campo de jogo, os resultados sempre aparecerão normalmente.

        O GORDIOLA e os Jogadores atuais estão fazendo o seu melhor para que possamos voltar para a Série A, e isto vai acontecer daqui alguns dias, por que todos estão engajados no mesmo objetivo sem estrelismo e vaidades.

        Devido a isto o Guto Ferreira poderá ser o nosso TREINADOR na Série A, pelo fato de hoje estar apenas atrás do Corinthians em desempenho.

        Evidente enfrentando outro nível de competição na encardida Série B como o bom time do Paraná logo mais, lá dentro da Arena da Baixada.

        Abs. Dorian Bueno, Google+Plus, POA, 03.10.2017
        __________________________________________

        Ainda somos líder mesmo com todas as trapalhadas dentro de campo, e desejo que possamos continuar dentro do G4 até o fim.
        A Taça da Série B devido as circunstâncias atuais, para mim já não será tão importante.
        Que possamos nos acalmar aqui fora e que os jogadores possam honrar a camisa do Internacional.
        Sem esta dos jogadores querer BIXO EXTRA para voltar a Série A, porque já recebem muito e precisam deixar de ser mercenários.

        Abs. Dorian Bueno, POA, 08.11.2017

        • Antônio Carlos Pauperio

          Dorian, na postagem sugeri que haja um esclarecimento sobre a exigência de prêmio para acesso à Série A e pela conquista do título, por acreditar que se trata de uma inverdade e que compromete a integridade dos jogadores. Cheira a ação de gente covarde, que atua na clandestinidade e tenta disseminar a discórdia, potencializar a insatisfação e gerar a insegurança da massa torcedora, sendo digna de repulsa e nojo.

  7. Luciano

    Paupério, as postagens com opiniões divergentes são normais e salutares, desde que não ofensivas ou com insinuações levianas. É o que vemos no BAC. Todos nós somos torcedores e de certo modo analistas de futebol, em especial das coisas do SCI. Eu tenho sido bastante crítico com as últimas gestões do Clube no tocante à atividade-fim do Internacional. Isso não impede de reconhecer e elogiar iniciativas acertadas. Eu vejo muita incapacidade técnica no time do Inter atual. Isso decorre tanto de qualidade insuficiente do elenco e de falta de capacidade da comissão técnica de ter um melhor aproveitamento com o grupo disponível. Cito um exemplo gritante a meu ver que é a utilização do Potker pelo lado direito. Isso só pode ser orientação do treinador. Quanto a C. Winck, Alemão ou Júnio, a escolha deveria ser pelo menos pior ou por uma improvisação. Mas fica complicado esse tipo de escolha. Lesões e suspensões fazem parte. Agora, superdimensionar as qualidades do Luverdense e do CRB como nosso treinador e vice de futebol fazem, isso eu não aceito. Jogar duas vezes contra o BOA Esporte e não vencer também é inaceitável. SABEMOS QUE ESTAMOS NA SEGUNDA DIVISÃO E TEMOS UM TIME DE SEGUNDA DIVISÃO. Mas mesmo assim, com todos os recursos de estrutura e logística que os atletas possuem à sua disposição, não tem como aceitar desculpas de que TODOS ESTÃO BRIGANDO POR ALGUMA COISA NA RETA FINAL. É claro que estão, mas não é admissível que os outros Clubes estejam sendo MAIS COMPETITIVOS QUE O INTER.

    • Antônio Carlos Pauperio

      Luciano, concordo plenamente com teu comentário. Muitas vezes defendo que tem horas que é melhor ficar quieto do que tentar explicar o inexplicável. A queda de desempenho do time Colorado nos últimos jogos é evidente e se isso não for superado, as dificuldades serão maiores ainda, mas confio na raça e no próximo sábado, conseguiremos o acesso à Série A antecipadamente. Depois dessa primeira conquista, vamos partir para a 2ª, o título de campeão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*